Acessar o conteúdo principal
Brasil/Olimpíadas

Le Monde destaca acidentes nas obras das Olímpiadas no Rio

A Superintendência Regional do Trabalho teme novas mortes no canteiro de obras das Olimpíadas
A Superintendência Regional do Trabalho teme novas mortes no canteiro de obras das Olimpíadas © Reuters

"Um time de futebol em número de mortos". É assim que começa a reportagem publicada nesta terça-feira (26) no site do jornal Le Monde, sobre as vítimas dos acidentes nos canteiros das obras dos Jogos Olímpicos. O alerta foi lançado por Elaine Castilho, auditora responsável pela fiscalização das obras olímpicas.

Publicidade

O levantamento foi divulgado nesta segunda-feira (25) pela Superintendência Regional do Trabalho e do Emprego do Rio de Janeiro e ganhou destaque no jornal francês. “O objetivo é chamar a atenção e sensibilizar as autoridades sobre a segurança no trabalho, evitando assim novos acidentes”, diz Castilho. De acordo com ela, os acidentes ocorrem na maior parte das vezes por falta de planejamento e prazos apertados.

Algumas obras estão atrasadas, caso do Velódromo, e a Superintendência Regional do Trabalho teme que a aceleração do ritmo possa resultar em novas vítimas, segundo o Le Monde. Os Jogos Olímpicos acontecem entre 5 e 21 de agosto.

Nova linha de metrô será inaugurada em julho

A nova linha de metrô que vai ligar Ipanema a Barra da Tijuca deve ser inaugurada em julho, a um mês da cerimônia de abertura, de acordo com as autoridades. O jornal francês fala do “ceticismo geral” em relação ao cumprimento desse prazo. Só neste canteiro de obras, três pedreiros morreram. Um deles foi atropelado por um caminhão, um segundo caiu de uma escada e o terceiro foi atingido por uma mangueira de ar comprimido.

A Superintendência já obteve a suspensão de algumas obras, caso do Velódromo, onde há uma série de problemas envolvendo as medidas de segurança, como cintos de segurança ou equipamentos elétricos.

O jornal francês 20 Minutes também lembrou que recentemente uma ciclovia de 4 quilômetros construída à beira mar desabou, matando duas pessoas. Ela ligava o bairro de Ipanema e Copacabana à Vila Olímpica e havia sido construída especialmente para os Jogos. O custo total da obra foi de R$ 45 milhões.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.