Acessar o conteúdo principal
Brasil-África

Português falado no Brasil se populariza em Moçambique

Áudio 06:09
Um mercado de Maputo, capital de Moçambique.
Um mercado de Maputo, capital de Moçambique. RFI/Miguel Martins

O idioma oficial é o patrimônio comum do Brasil, de Moçambique, Portugal e dos demais países da Comunidade de Língua Portuguesa. Mas, assim como em terras brasileiras, em Moçambique, o idioma também sofreu modificações. Há diferenças na língua falada nos dois países, mas as igrejas evangélicas e as novelas ajudaram a popularizar o português do Brasil no país africano.

Publicidade

Por Fábia Belém, correspondente da RFI em Moçambique

“Para além da pronúncia, existem certas palavras que são específicas de Moçambique”, diz o moçambicano Gabriel Boque, licenciado em ensino de português.

A professora Julieta Langa, mestre em linguística, cita alguns exemplos, como a palavra ´desconseguir`, que significa ´não conseguir`. “É típico do português moçambicano”, revela. “Há uma expressão muito interessante, que nós usamos várias vezes: ´Eu fui à sua casa, cheguei, encontrei, enquanto não estavas´. Então, essas são as transferências da maneira como eu vejo o mundo; e eu vejo o mundo como a minha língua me diz: ´Eu fui à casa, cheguei, não a encontrei. Ela não estava´. Mas nós codificamos essa mesma informação ´Fui, cheguei, encontrei, enquanto não estava´. Essa ´moçambicanização` não chegou exatamente aos livros, mas podemos encontrar perdida, assim, no apresentador de televisão, no locutor da rádio”, explica Langa.

O português brasileiro que se aprende nas igrejas e nas novelas

A presença cada vez mais forte do português brasileiro na fala de muitos moçambicanos é outro aspecto observado pela mestre em Linguística. “Nota-se no vocabulário, e nota-se em certas formas de construção de frases típicas do Brasil. A maneira como as pessoas usam o verbo “ter”: ´Olha, tem dias que...`. Esse ´ter dias` não é típico do português europeu, e há algum tempo não se utilizava; é o verbo ´haver`, mas vem muito por via das novelas”.

Na opinião de Julieta Langa, mais do que as novelas transmitidas aqui, as igrejas brasileiras têm influenciado o jeito de falar de muitos moçambicanos. “Todas essas pessoas que todos os dias frequentam a igreja, e todos os dias participam nos serviços da igreja, por via da televisão ou da rádio, é essa língua que recebem. Então, torna-se, também, uma língua de grande prestígio”.

Material acadêmico brasileiro nas universidades moçambicanas

Gabriel Boque diz que, para além das igrejas e das telenovelas, há muito material acadêmico brasileiro nas universidades de Moçambique, o que, na opinião dele, acaba por disseminar o português usado no Brasil. “Imagine que um professor, por exemplo, consuma material brasileiro, e na sala de aula, em pleno exercício da sua atividade, faça uso de certos termos brasileiros. Há muita facilidade de os alunos assimilarem”, afirma Boque.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.