Acessar o conteúdo principal

Temer assume em situação imprevisível, estimam jornais franceses

Michel Temer fica em São Paulo durante o fim de semana, antes de voltar para a capital federal.
Michel Temer fica em São Paulo durante o fim de semana, antes de voltar para a capital federal. REUTERS/Ueslei Marcelino

Os jornais franceses desta quarta-feira (11) dão amplo destaque ao provável afastamento da presidente Dilma Rousseff de suas funções, com a votação prevista para hoje no Senado. Les Echos, diário especializado em economia, diz que investidores e empresários apostam na mudança de governo para relançar reformas consideradas necessárias ao país.

Publicidade

O jornal assinala que, apesar da crise, a Bolsa de Valores de São Paulo registra um desempenho "insolente" desde o início do ano, com 19% de ganhos. O mercado de ações brasileiro é o terceiro mais movimentado do mundo, perdendo apenas para o Peru e a Rússia. Esse resultado é consequência da revalorização das matérias-primas, que voltaram a subir nas últimas semanas. A alta das ações e também do real é um sinal que dias melhores virão, estima Les Echos.

Cunha tem as cartas na mão, avalia Le Figaro

Le Figaro afirma que as últimas horas do governo Dilma "viraram uma telenovela e até os roteiristas entregaram os pontos diante de tantas piruetas". O último episódio envolvendo o deputado Waldir Maranhão, que anulou a votação favorável ao pedido de impeachment na Câmara e depois voltou atrás, foi digno de um ator de segunda categoria, diz o diário conservador. Le Figaro vê no ato de Maranhão, orientado por Eduardo Cunha, uma advertência ao vice Michel Temer.

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, afastado pelo Supremo (STF), conseguiu derrubar Dilma e agora sinaliza que, se não tiver a ajuda de Temer para livrá-lo da prisão, irá manobrar para derrubar o sucessor no Planalto. "O homem forte da República é Eduardo Cunha", declara Le Figaro.

Libération, jornal de esquerda, relata que a Advocacia Geral da União baixou as últimas cartas que tinha nas mãos ao enviar ao STF um pedido de anulação do processo. Assim como Les Echos, Libération explica que Dilma será provavelmente julgada por crime de responsabilidade, relacionado com as pedaladas fiscais. Libération reitera que não existe denúncia de corrupção envolvendo diretamente a presidente.

Perfil de Temer na AFP destaca "velha raposa da política"

Em um perfil de Michel Temer, a agência AFP recorda que Temer não está em posição confortável. "Ele já foi citado em delações, mas por enquanto o procurador-geral da República não vê elementos suficientes para investigação", afirma a agência. Temer também pode ter seu mandato cassado na chapa de Dilma pelo Tribunal Superior Eleitoral por financiamento ilícito de campanha.

Em outro processo, o vice pode ser declarado inelegível por 8 anos, após ter sido condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, por ter doado dinheiro a campanhas acima do limite legal em 2014. Apesar desse passivo, a AFP conclui que "pouco importa": caberá a essa "raposa velha" da política brasileira, a honra de inaugurar os Jogos Olímpicos do Rio, no dia 5 de agosto.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.