Acessar o conteúdo principal

Diretor Hector Babenco morre em São Paulo

O cineasta Hector Babenco morreu na noite desta quarta-feira, 13 de julho de 2016.
O cineasta Hector Babenco morreu na noite desta quarta-feira, 13 de julho de 2016.

Morreu na noite desta quarta-feira (13) em São Paulo o diretor Hector Babenco, que assina produções históricas do cinema brasileiro como "Carandiru" (2003), "O beijo da Mulher-Aranha" (1984), que rendeu um Oscar a William Hurt, e "Pixote, a Lei do Mais Fraco" (1980).  

Publicidade

Babenco morreu aos 70 anos, após sofrer uma parada cardíaca por volta de 23h em sua casa. Ainda não há informações sobre o velório e o enterro do artista, que marcou a produção filmográfica brasileira. O diretor lutou nos anos 1990 contra um câncer do sistema linfático, fato que inspirou seu último filme, o longa "Meu Amigo Hindu", lançado em 2015. A película traz o ator americano William Dafoe, que vive o protagonista, um cineasta às voltas com um tumor maligno agressivo.

Naturalizado brasileiro em 1977, Hector Babenco nasceu em Mar del Plata, na Argentina, tendo se instalado no Brasil aos 19 anos. De ascendência judaico-ucraniana, Babenco é um dos principais nomes do cinema brasileiro contemporâneo, projetando universos brasileiros diversos dentro e fora do país, seja através da ficção documental que se debruça sobre o sistema carcerário brasileiro – "Carandiru" e "O Beijo da Mulher-Aranha"-, seja pelo olhar contundente de sua crítica social em "Pixote" ou "Lúcio Flávio , Passageiro da Agonia".

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.