Acessar o conteúdo principal

Le Monde critica duramente a organização da Olimpíada no Rio

Jornal Le Monde critica atraso nas obras para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em edição desta sexta-feira (29).
Jornal Le Monde critica atraso nas obras para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em edição desta sexta-feira (29). REUTERS/Athit Perawongmetha

O jornal Le Monde publicou nesta sexta-feira (29) uma grande matéria criticando a organização dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Publicidade

O diário francês revela detalhes, como a queda da empresária Maria Helena Trajano, dona da rede de varejo Magazine Luiza, ao carregar a tocha olímpica, um incidente considerado simbólico da negligência na preparação da Olimpíada.

Le Monde não poupa críticas à Vila Olímpica, considerada insalubre, com banheiros bloqueados, curtos-circuitos no sistema elétrico e a "sujeira insuportável do chão". Nem mesmo o episódio constrangedor do prefeito Eduardo Paes em relação à delegação australiana passou desapercebido.

O jornal cita a proposta de Paes de “oferecer um canguru” aos australianos, mal recebida pela delegação estrangeira, e fala ainda de uma “verdadeira operação de guerra” realizada pela organização para tentar terminar as obras necessárias em “metade da Vila Olímpica”.

Le Monde afirma que a esta e a outras polêmicas, como a mão de obra de 630 operários ilegais, que teriam sido contratados para finalizar as obras em sistema de urgência, juntam-se outros problemas “terríveis” como a poluição da Baía de Guanabara, onde “os detritos continuam a flutuar sobre as águas onde acontecerão as provas náuticas”.

“Super bactéria”

A presença de uma “super bactéria”, detectada nas praias do Flamengo e de Botafogo, também são citadas pelo jornal francês, que traz uma entrevista do biólogo brasileiro Mario Moscatelli. Ele considera as medidas de urgência como “paliativos numa missão impossível”.

Outros incidentes são citados na matéria do Le Monde, que afirma que a organização dos Jogos do Rio teve uma atitude negligente. As obras do metrô da linha 4 são citadas como exemplo, assim como o acidente envolvendo dois caças da marinha brasileira durante uma simulação na última terça-feira (26).

O jornal francês afirma que os Jogos Olímpicos do Rio, no entanto, custarão €10 bilhões , ou seja, 40% a mais que o orçamento original. Le Monde também publica que 60% dos brasileiros acreditam que os Jogos serão mais prejudiciais do que benéficos para a população brasileira, segundo pesquisa publicada pelo jornal O Estado de São Paulo.

O diário francês finaliza dizendo que a crise política estará presente na abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Le Monde lembra que em entrevista exclusiva à Rádio França Internacional, a presidente brasileira Dilma Rousseff afirmou que não aceitará um papel secundário durante os Jogos Olímpicos.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.