Acessar o conteúdo principal
Cultura

Sebastião Salgado recebe Prêmio Itamaraty da Diplomacia Cultural em Paris

O fotógrafo Sebastião Salgado (e) ao lado do embaixador brasileiro na França, Paulo de Oliveira Campos, durante a homenagem em Paris.
O fotógrafo Sebastião Salgado (e) ao lado do embaixador brasileiro na França, Paulo de Oliveira Campos, durante a homenagem em Paris. RFI

O fotógrafo Sebastião Salgado foi homenageado na noite desta quinta-feira (20) na embaixada do Brasil em Paris com o Prêmio Itamaraty da Diplomacia Cultural. A honraria é destinada às personalidades que contribuíram para a promoção da cultura brasileira no exterior.

Publicidade

Durante a cerimônia, o embaixador brasileiro na França, Paulo de Oliveira Campos, disse que Salgado é um dos melhores representantes da imagem do Brasil no exterior. “Quando ele vai a um restaurante ou no metrô as pessoas o reconhecem. Sabem que ele é um grande fotógrafo, mas também que ele é brasileiro”, brincou o diplomata.

Em entrevista à RFI, o embaixador explicou que, além contribuir para a divulgação da cultura brasileira, o fotógrafo também consegue, por meio de seu trabalho, conscientizar a população. “Ele divulga aspectos que nos fazem refletir sobre o nosso papel dentro do planeta Terra. É um grande filósofo que utiliza a fotografia para questões importantes da sociedade e do nosso planeta”, disse o diplomata.

“Nunca saí do interior de Minas”

Ao receber a homenagem, Salgado, que estava acompanhado de sua mulher Lélia, lembrou de sua relação de longa data com o corpo diplomático brasileiro. “Eu tenho uma admiração muito grande por esse pessoal das embaixadas do Brasil”, disse o fotógrafo, lembrando que sempre pôde contar com a colaboração dos representantes do país no exterior durante seus 40 anos de missões pelo mundo. “Esse prêmio [representa] a ligação que eu tenho com o ministério das Relações exteriores do Brasil”, completou, em entrevista à RFI.

Questionado sobre seu papel na divulgação da imagem do país, Salgado disse que “cada brasileiro se sente representante do Brasil. Nós somos muito primários no que diz respeito ao Brasil. Eu adoro o meu país. Moro na França há muitos anos, mas é como se eu nunca tivesse saído do interior de Minas”, completou o fotógrafo, que nasceu em Conceição do Capim, pequeno distrito mineiro.

O Prêmio Itamaraty de Diplomacia Cultural foi criado em 2015 e tem como objetivo reconhecer residentes no exterior, brasileiros ou estrangeiros, cuja atuação tenha contribuído, de forma notável, para a diplomacia cultural ou educacional brasileira. Já foram homenageados a professora Marisa Mendonça, diretora executiva do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP), a curadora chinesa Sarina Tang, que lidera o projeto de residências artísticas Compartilhadas e Divergentes, ou ainda o escritor americano Benjamin Moser, autor de uma biografia de Clarice Lispector.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.