Acessar o conteúdo principal
Brasil/eleições municipais

Eleições municipais marcam derrocada da esquerda no Brasil, diz imprensa francesa

O senador Marcelo Crivella é eleito para a prefeitura da capital fluminense ao vencer Marcelo Freixo no segundo turno.
O senador Marcelo Crivella é eleito para a prefeitura da capital fluminense ao vencer Marcelo Freixo no segundo turno. Fernando Frazão/ Agência Brasil

A imprensa francesa desta segunda-feira (31) repercutiu o resultado do segundo turno das eleições municipais no Brasil. O principal destaque, do ponto de vista dos franceses, foi a eleição de um evangélico, Marcelo Crivella, para a prefeitura do Rio de Janeiro, a Cidade Maravilhosa do samba e do Carnaval.

Publicidade

Com o título "Derrota da esquerda, um evangélico prefeito do Rio", o jornal La Croix acredita que este segundo turno das eleições municipais no Brasil acentua a virada à direita do primeiro turno, confirmando a "hecatombe" do Partido dos Trabalhadores. O jornal católico destaca que o PT não conquistou desta vez nenhuma capital, e que nem Dilma nem Lula votaram no domingo.

La Croix afirma ainda que "o pulmão econômico" do Brasil, São Paulo, voltou para as mãos do PSDB do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, um aliado de Michel Temer, cujo partido compõe a coalizão que mais levou prefeituras nestas eleições municipais brasileiras de 2016, publica o jornal. Quanto ao embate no Rio de Janeiro, entre Crivella e Freixo, o jornal católico francês descreve uma luta da "Igreja contra o socialismo".

La Croix cita o livro polêmico de Crivella, onde o atual prefeito carioca evoca sua experiência como missionário na África, acusando a Igreja Católica de "pregar doutrinas demoníacas", no "país que reúne o maior número de católicos no mundo", e onde "Crivella classifica a homossexualidade como um mal terrível", escreve o diário. La Croix finaliza a matéria com a declaração do cientista político Mauricio Santoro, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, que afirmou que "Crivella se beneficiou de um vazio deixado pela ruptura da aliança entre o PT de Lula e o PMDB de centro-direita do prefeito Eduardo Paes".

Alto índice de abstenção

O jornal Le Monde destaca a "eleição para a prefeitura do Rio de um evangélico que diabolizava, há alguns anos, católicos e homossexuais", nas palavras do diário francês. Le Monde também se interessa pelo polêmico livro de Crivella e destaca o alto índice da abstenção no pleito brasileiro, "mesmo levando em consideração o voto obrigatório", publica Le Monde.

O site da revista L'Express destacou ainda trechos do discurso de vitória do agora prefeito carioca Marcelo Crivella, em Bangu, zona norte da capital: "Nós temos quatro anos para construir o Rio dos nossos senhos", diz o texto, afirmando que Crivella agradeceu na ocasião a Igreja Católica e "todas as outras religiões" e criticou a "campanha difamatória de alguns veículos de imprensa". "Seu tio", lembra L'Express, "o polêmico bispo Edir Macedo, que fundou a Igreja Universal do reino de Deus em 1997 é o proprietário da TV Record, a segunda rede de TV do Brasil depois da Globo".

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.