Acessar o conteúdo principal
Brasil/Economia

“Brasil é um dos países mais interessantes para investidores”, diz Abílio Diniz

O empresário Abílio Diniz,  em Paris.
O empresário Abílio Diniz, em Paris. Foto: RFI Brasil

O administrador e empresário Abílio Diniz voltou a demonstrar nesta terça-feira (7) confiança na recuperação da economia brasileira e nas reformas do governo que, segundo ele, estão atraindo mais investimentos estrangeiros ao país.

Publicidade

“Tenho muito contato com investidores internacionais. Todos estão olhando o Brasil com muita atenção. Há muita vontade, há muito capital para entrar, para investir nos projetos de infraestrutura. Há muita gente e investidores interessados”, afirmou Diniz, elogiando a ação do governo de Michel Temer.

“O que precisa ser feito? O que está sendo feito. Estão sendo desatados os nós nas infraestruturas e nas dificuldades para os investidores entrarem. Os marcos regulatórios estão sendo revistos, tudo isso está acontecendo e os investidores retornando. O capital não falta, veja o dólar, está entrando capital o tempo inteiro. O Brasil é um dos países mais interessantes para os investidores. É um país que tem organização política, instituições fortes e que está retomando. Isso atrai demais os investidores”, acrescentou.

O otimismo com o futuro do Brasil foi um dos aspectos abordados por Diniz durante a sua palestra intitulada “Gestão e Liderança”, realizada na embaixada do Brasil em Paris para um grupo de executivos de empresas francesas e estudantes de administração.

No evento, Diniz contou detalhes da sua trajetória pessoal e profissional que o tornou um dos maiores nomes do empresariado brasileiro a nível mundial. Ele falou da origem do império que construiu a partir da pequena padaria criada por seu pai, um imigrante português. Ele mencionou os períodos de dificuldades, que quase levaram a empresa à falência nos anos 1980, e sua colaboração durante passagem pelo Conselho Monetário Nacional.

Com estudos no Brasil e nos Estados Unidos, o empresário ajudou a transformar o negócio familiar no maior grupo de distribuição do Brasil, o GPA, vendido depois para o Casino. Em 2013, ele diz ter começado uma nova vida, ao deixar o grupo francês e partir para novos projetos empresariais, que incluíram assumir as presidências dos Conselhos de Administração da Península, empresa de investimentos familiar, e da BRF, além das atividades como membro do conselho de administração do grupo Carrefour e da sua filial Carrefour Brasil.

Recessão superada

Durante a conferência, Abílio Diniz deu destaque aos valores que guiaram sua ações, sempre demonstrando muito otimismo com o futuro do Brasil, mesmo depois da divulgação dos números da economia brasileira nesta terça-feira. Segundo o IBGE, a queda do PIB do país foi de 3,6% em 2016, confirmando o período recessivo mais grave na história. Diniz insistiu que o pior da crise pode ter passado e que a situação econômica está numa tendência positiva.

"Está melhor do que no mês passado e melhor do que no mês anterior. Não temos que olhar para trás. As coisas estão melhorando, todos os sinais são de que a economia está melhorando. A indústria está melhorando, e eu acho que a perspectiva é muito boa. Nós não podemos ter a ilusão de que vamos resolver os problemas imediatamente. Acho que o governo está fazendo um trabalho importante, procurando desatar os nós estruturais que temos. Eu acho que nós, brasileiros, temos que encarar o futuro com muito otimismo”, salientou.

“Olha para um ano atrás e vê como nós estávamos e olha o dia de hoje. Veja o que tínhamos de esperança naquele tempo e a nossa esperança que temos hoje. O governo está fazendo aquilo a que está se propondo. Ele (o presidente Temer) disse: eu não vou pensar em reeleição, não vou pensar em nada para frente. Eu vou fazer o que preciso fazer e está fazendo”, destacou.

“Não depende só do executivo, é uma negociação com o Congresso. O governo está enviando os projetos que agora têm que ser discutidos e aprovados no Congresso. Tudo isso leva seu tempo. Eu estou otimista que se vai conseguir”, destacou.

Carrefour Brasil

Além da palestra na embaixada, Abílio Diniz veio a Paris para participar da reunião do Conselho de Administração do grupo Carrefour, do qual sua família possui 8,05% de participação, sendo a terceira maior acionista da empresa.

Às vésperas da divulgação dos resultados do grupo, o empresário alegou sua obrigação de permanecer em silêncio para evitar comentar informações sobre números e mudanças estratégicas. No entanto, Abílio Diniz confirmou declarações já feitas publicamente sobre a entrada na Bolsa de Valores da Carrefour Brasil ainda este ano. “Ainda não sabemos se será feita no final do primeiro semestre ou no segundo, mas será feita”, afirmou. 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.