Acessar o conteúdo principal
RFI Convida

Escritora faz sucesso com livro desenvolvido em oficina de García Márquez

Áudio 07:14
A escritora cearense Socorro Acioli, autora de "A Cabeça do Santo"
A escritora cearense Socorro Acioli, autora de "A Cabeça do Santo" RFI

A escritora cearense Socorro Acioli tem feito sucesso no Brasil, e em países como França e EUA, com o livro "A Cabeça do Santo".

Publicidade

Esta semana, ela participa do Salão do Livro de Paris, o principal evento literário da França. A obra foi desenvolvida em uma oficina com o escritor colombiano Gabriel García Márquez (1927-2014), em Cuba. "Quando eu apresentei o projeto, ele ficou impressionado. Eu lembro a reação dele todos os dias", conta.

O livro conta a história de um jovem que descobre possuir o fantástico dom de ouvir as preces das mulheres para santo Antônio. O personagem Samuel cumpre uma promessa e faz a pé o caminho de Juazeiro do Norte até a pequena cidade de Candeia, sofrendo todas as agruras do sol impiedoso do sertão do Ceará.

Ao chegar ao local, quase fantasma, ele encontra abrigo num lugar curioso: a cabeça oca e gigantesca de uma estátua inacabada de santo Antônio, que jazia separada do resto do corpo. Mas as estranhezas não param aí: Samuel começa a escutar uma confusão de vozes femininas apenas quando está dentro da cabeça.

Assustado, ele se dá conta de que aquilo são as preces que as mulheres fazem ao santo falando de amor. "O personagem é inventado, mas a cabeça existe. García Márquez não acreditava. Mas, quando eu mostrei uma filmagem, ele assistiu de boca aberta", afirma a autora.

Literatura popular

Socorro diz que é adepta da "literatura popular". "Dá muito trabalho escrever com simplicidade, mas essa é a minha intenção. Quando estava escrevendo esse livro, eu pensava em atingir um público amplo, que não precisasse ser experiente em um texto literário, mas rebuscado", conta.

"Quis sobretudo contar uma história. Abraço a ficção popular com muito orgulho. Temos um antecessor do gênero muito forte no Brasil, Jorge Armado, que sofreu muito com a recepção na academia por ter abraçado a literatura mais popular. Quero escrever um texto acessível." 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.