Acessar o conteúdo principal

Lula recebe apoio de militância antes de depoimento a Moro em Curitiba

Acampamento de integrantes do Movimento Sem Terra (MST) em apoio ao ex-presidente Lula, em Curitiba, em 9 de maio de 2017.
Acampamento de integrantes do Movimento Sem Terra (MST) em apoio ao ex-presidente Lula, em Curitiba, em 9 de maio de 2017. REUTERS/Paulo Whitaker

Milhares de partidários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniram nesta terça-feira (9) em Curitiba, na véspera do encontro do líder da esquerda com o juiz Sergio Moro.

Publicidade

Vestindo camisas vermelhas e agitando bandeiras com a imagem do Partido dos Trabalhadores (PT) fundado por Lula em 1980, os militantes foram dar apoio ao ex-presidente brasileiro antes de uma audiência que promete ser explosiva, tanto dentro quanto fora do tribunal.

As autoridades haviam previsto de fechar totalmente o perímetro do tribunal onde acontecerá a audiência, mas o dispositivo de segurança ainda não estava em vigor nesta terça-feira (9) e o comércio estava funcionando normalmente.

O ex-chefe de Estado brasileiro (2003-2010) comparece à Justiça na quarta-feira (10) para se defender de acusações segundo as quais ele teria recebido um apartamento tríplex em um resort como parte de um suborno da construtora OAS.

O ex-metalúrgico nega todas as acusações e conta com a presença maciça de aliados para dar um tom político ao interrogatório, que Sérgio Moro, magistrado de 44 anos, tenta fazer passar por um procedimento "normal". O juiz lançou no sábado (6) um apelo pedindo calma no Facebook para tentar evitar confrontos entre ativistas pró e contra Lula.

Mas, na terça-feira (9), as autoridades locais afirmaram que apreenderam facões entre os partidários do ex-presidente. A maioria deles chegou de ônibus de vários estados brasileiros. Mais de uma centena de ônibus já saíram de São Paulo, a capital econômica, de acordo com a Frente Brasil Livre, que coordena os movimentos sociais que apoiam o ex-chefe de Estado.

"Viemos porque o julgamento de Lula é contrário às regras da justiça brasileira. Devemos mostrar que as pessoas estão atentas. Nós viemos apenas pedir transparência", afirmou Jo Portilho, um bancário de 54 anos do Rio de Janeiro.

Nomes do alto escalão da esquerda brasileira também são esperados em Curitiba, incluindo a sucessora de Lula, Dilma Rousseff (2011-2016), deposta no ano passado. No total, o ex-presidente Lula é visado por cinco processos judiciais como parte da operação Lava Jato.

Com informações da AFP
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.