Acessar o conteúdo principal
Brasil

Imprensa francesa se preocupa com instabilidade da economia brasileira

Michel Temer tenta tranquilizar investidores durante evento em São Paulo.
Michel Temer tenta tranquilizar investidores durante evento em São Paulo. REUTERS/Paulo Whitaker

A imprensa francesa desta quarta-feira (31) traz várias reportagens e análises sobre a situação política e econômica do Brasil. O jornal Les Echos traz uma matéria sobre a estratégia de Michel Temer para permanecer na presidência, enquanto Le Monde explica que a economia brasileira ainda está longe da retomada anunciada pelo governo.

Publicidade

"Politicamente intimidado, Temer se esforça diante dos investidores", diz a manchete do Les Echos. O correspondente do diário econômico em São Paulo, Thierry Ogier, acompanhou a reunião do presidente com cerca de 800 empresários de mais de 40 países na capital paulista, na terça-feira (30). Na pauta das discussões, as reformas do governo, a modernização do Estado e o crescimento. Porém, segundo o jornal, "nenhuma palavra foi dita sobre os escândalos de corrupção que colocam em xeque a autoridade de Temer há 15 dias".

O repórter do Les Echos destaca que, diante da imprensa, Temer insiste que não tem "nenhuma vontade de renunciar". "O essencial é mostrar que há um piloto dentro do avião", escreve o jornal. O presidente garante que é capaz de continuar governando e colocando as reformas em prática. Para ele, é natural que quando os investidores leem as notícias dos últimos dias, se perguntem o que vai acontecer. "Mas o Brasil não vai parar", garante Temer.

Para mostrar resistência, o governo lançou, durante o evento, um fundo de investimento de US$ 20 bilhões entre o Brasil e a China, que tem 75% do capital inicial avançado pelo país asiático. "Essa semana é crucial para que o governo possa retomar as atividades na área econômica, depois da demissão surpresa, no final da semana passada, de Maria Silvia Bastos, presidente do BNDES, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Na liderança da instituição, a executiva tentava implementar uma política liberal", publica Les Echos.

As previsões, no entanto, não são otimistas, aponta o jornal Le Monde que chegou às bancas na tarde desta quarta-feira (31). Segundo a correspondente do vespertino no Brasil, Claire Gatinois, “as revelações explosivas visando o presidente Temer não apenas colocam em perigo a estabilidade política como também deixam a economia do país à beira do abismo”.

Impeachment de Temer não é excluído

Será que o presidente será destituído, como Dilma Rousseff? Nesse caso, quem o substituirá? Como ficarão as reformas em andamento? ”, são algumas das perguntas lançadas pelo jornal francês. Diante dessas incertezas, “o mercado balança, os investidores duvidam e os empresários ficam irritados”, analisa o vespertino.

Le Monde ouviu economistas que apostam em uma saída rápida da crise como única solução para tentar salvar o país. Porém, frisa o jornal, “qualquer que seja o desenrolar dos acontecimentos nas próximas semanas, a retomada da economia brasileira já está comprometida”. Para o jornal, “no melhor dos casos, o país vai registrar um crescimento simbólico próximo de zero este ano e, no pior dos casos, o PIB brasileiro continuará recuando”.

Além disso, como o Brasil é a primeira economia da América Latina, a situação preocupa também os países da região, comenta o correspondente do jornal Les Echos. 

Já o site do jornal Le Parisien relata que o Supremo Tribunal Federal autorizou ontem a polícia a interrogar Michel Temer no inquérito em que o presidente é investigado com base nas delações premiadas dos donos da empresa JBS. Para o tabloide, o mandato do presidente brasileiro "está por um fio" e a população, castigada pela crise e por um índice de desemprego superior a 14%, está exausta da repetição de escândalos de corrupção que envolvem toda a classe política do país.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.