Acessar o conteúdo principal
França/Imprensa

Imprensa francesa critica "desprezo" de Temer à denúncia de corrupção

A imprensa francesa dá destaque a denúncia por corrupção passiva contra o presidente brasileiro, Michel Temer.
A imprensa francesa dá destaque a denúncia por corrupção passiva contra o presidente brasileiro, Michel Temer. Beto Barata/PR/FotosPublicas/ RFI

Os sites dos principais jornais franceses noticiam nesta terça-feira (27) com destaque a denúncia por corrupção passiva contra o presidente brasileiro, Michel Temer. O Le Monde explica que a denúncia apresentada pelo Procurador-Geral, Rodrigo Janot, precisa ser validada por dois terços da Câmara dos Deputados para que o Supremo Tribunal Federal instrua o processo que poderá afastar Temer do cargo.

Publicidade

O renomado jornal francês observa que Temer reagiu com desprezo à denúncia, ao dizer "nada nos destruirá, nem a mim nem a meus ministros". Mas "na segunda-feira, 26 de junho de 2017, Michel Temer entrou para a história do Brasil como o primeiro chefe de Estado acusado de corrupção, uma desonra", diz a correspondente em São Paulo.

Le Monde explica, no entanto, que apesar dos indícios irrefutáveis revelados pela delação do empresário Joesley Batista, presidente do grupo J&F Investimentos, Temer tem o apoio de parte significativa do Congresso.

Ouvido pela reportagem, João Augusto de Castro Neves, analista da empresa de consultoria Eurasia, estima que Temer tem 70% de chance de escapar da destituição. Ele conta com o apoio de 240 a 250 deputados, ou seja, bem mais do que os 172 votos necessários para frear a ação no poder Judiciário.

"Em uma atmosfera cada vez mais pesada, resta o fato de que Temer é um presidente moribundo, aprovado por apenas 7% dos brasileiros, e implicado em outros casos suspeitos de corrupção, que podem resultar em novas denúncias", conclui Le Monde.

Acusações extremamente graves, sublinha Le Figaro

O Le Figaro afirma que a denúncia inédita da PGR pode ser o fim desse mandato presidencial abalado por escândalos. O diário conservador também publica trechos do discurso de Temer no Palácio do Planalto, no qual ele afirmou que nada irá destruí-lo. Na avaliação do Le Figaro, mesmo se Temer escapar do processo de afastamento do cargo, com o apoio do Congresso, as acusações contra ele são extremamente graves.

O jornal especializado em economia Les Echos ironiza a crise política no Planalto: "Nada de novo no Brasil, a bolsa despenca, o real também e os brasileiros gritam nas ruas 'Fora Temer', agora também acusado de corrupção". Les Echos compartilha a análise do restante da imprensa francesa: os congressistas brasileiros, também envolvidos em escândalos de corrupção, serão solidários com Temer.

Citando a agência Reuters, a revista Challenges diz que o suspense sobre o destino de Temer na chefia do Estado deve durar mais um pouco. Alguns deputados aguardam a posição de Janot sobre a possível acusação de obstrução da Justiça e poderá se tornar difícil ignorar a indignação dos brasileiros nas ruas.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.