Acessar o conteúdo principal

Lula corre o risco de fazer campanha na cadeia, escreve Les Echos

O ex-presidente Lula durante um comício no dia 23 de março, em São Leopoldo.
O ex-presidente Lula durante um comício no dia 23 de março, em São Leopoldo. REUTERS/Diego Vara

A rejeição do recurso de Lula pelo Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF-4) é analisada na imprensa francesa desta terça-feira (27). A maioria dos veículos acredita que o ex-presidente poderá ser preso em breve e não poderá ser candidato em outubro. As incertezas são muitas, complicando a eleição presidencial no maior país da América Latina, escreve Les Echos.

Publicidade

O site do Le Figaro diz que agora “Lula está ameaçado de prisão.” Este era o último recurso do ex-presidente brasileiro, condenado em segunda instância por corrupção a mais de 12 anos de prisão, informa o texto. O STF dará a palavra final sobre o caso no dia 4 de abril quando deve decidir se concede ou não o habeas corpus preventivo pedido pelos advogados de Lula.

Em 2016, o Supremo havia estimado que um acusado deveria cumprir a pena de prisão após a confirmação da sentença em segunda instância, lembra Le Figaro. No entanto, vários ministros da casa parecem inclinados a rever essa jurisprudência. Independentemente da decisão do STF, o ex-presidente petista, que continua sendo o político mais popular do Brasil, “não poderá ser candidato nas próximas eleições presidenciais devido a sua condenação por ter recebido ilegalmente um apartamento de frente para o mar de uma construtora”, garante Le Figaro.

A revista Challenges também acredita que Lula, envolvido em outros seis escândalos de corrupção, não poderá participar das próximas eleições presidenciais.

Campanha na cadeia

Les Echos faz uma análise mais gradual: a sete meses da votação, o ex-presidente corre o risco de fazer campanha de uma cela da prisão. Citando a imprensa brasileira, o jornal econômico diz que o petista tem a intenção de fazer campanha enquanto for possível para maximizar o efeitos ”desse complô das elites” que ele denuncia.

Para a emissora TV5 Monde, a rejeição do recurso pelo TRF-4 é um mais um fracasso na Justiça do favorito na eleição presidencial brasileira. A televisão francófona internacional escreve que os planos do ex-presidente de continuar livre e elegível parecem comprometidos.

O petista de 72 anos, que sempre negou as acusações, alegando a absoluta falta de provas, poderá ser preso se o STF não conceder o habeas corpus na semana que vem. O supremo poderá inclusive adiar sua decisão, como fez inesperadamente na semana passada, dando mais prazo e mais liberdade ao ex-presidente. Somente se o habeas corpus for negado é que Lula estará “às portas da prisão.”

Sobre sua candidatura, ele poderia ser considerado inelegível com base na Lei da Ficha Limpa, desde a rejeição na segunda-feira (26) do recurso no TRF-4. Mas os juristas divergem na interpretação da lei sobre esta questão, que pode abrir espaço para uma outra longa batalha.

Resumindo, o destino de Lula e de sua candidatura devem ser determinados pela Justiça Eleitoral somente no mês de agosto, prevê TV5 Monde. O ex-presidente é incontestavelmente o líder do PT e da esquerda. Se ficar fora da corrida presidencial, nenhum outro representante do partido conseguiria angariar tantos votos quanto ele, diz, em coro, a imprensa francesa.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.