Acessar o conteúdo principal
RFI Convida

Duo franco-brasileiro 'Andrea & Donzella' estreia show em Paris com músicas de 'amor e dor'

Áudio 08:13
O duo Andréa & Donzella, com Andréa Monteiro e Emmanuel Donzella.
O duo Andréa & Donzella, com Andréa Monteiro e Emmanuel Donzella. RFI

"Uma aventura artística e humana entre Nova York, Paris e Rio de Janeiro", é assim que a intérprete e letrista brasileira Andréa Monteiro e o músico e compositor Emmanuel Donzella definem a trajetória em comum que levou ao show "Tão longe e tão perto" ("Si loin si proche", em francês). A dupla estreia em Paris o novo trabalho, que reúne o duo franco-brasileiro num repertório romântico, com melodias harmoniosas.

Publicidade

* Para ver a entrevista completa, clique no vídeo abaixo

A dupla de artistas se conheceu ainda em 2006, no velho Myspace. "Ele me pediu amizade, e logo começamos a trocar letras e melodias", conta Andréa Monteiro. No verão de 2007, Emmanuel e Andréa, respectivamente em Paris e Nova Iork, decidiram se reunir para tornar o projeto "Tão longe e tão perto" uma realidade. O encontro na capital francesa, que durou apenas dez dias, foi frutífero: eles compuseram nada menos que dez canções.

"Adorei as músicas dele. Começamos a trocar mensagens e logo depois ele me convidou para gravar um duo no disco novo", conta Andréa. Emmanuel, que ainda não é fluente em português, embora cante no idioma, diz que tem vontade de aprender a língua. "É uma língua difícil, sobretudo para pessoas que, como eu, conhecem o espanhol. A partir do momento que eu desejo falar português, deslizo direto para o espanhol", conta.

O cantor, que já participou de programas de TV e acompanhou personalidades ao violão na França, conta sua experiência com a estrela Fanny Ardant. "Na verdade foi uma experiência que eu fiz há algum tempo, recentemente, para um programa no canal France 2. Como numa participação especial, eu entrava para fazer canções para os convidados. Escrevi 62 canções em um ano... (risos) Mas foi uma excelente experiência, escrever para alguém, segundo a inspiração provocada pela pessoa, efetivamente eu pude escrever para Fanny Ardant, Bernard Villiers...", diz.

Amores platônicos

O universo das canções de "Tão longe e tão perto" sobrevoa letras e harmonias que fazem referência a amores platônicos e desencontros. "O disco começa com uma melancolia, tem momentos ritmados, mais animados, e termina em desespero", diverte-se a intérprete, que assina as letras, e tem como referência musical cantoras de jazz como Billie Holliday, mas também grandes intérpretes brasileiras, como Elis Regina.

"São canções sobre amores platônicos, que nunca se resolvem", conta, explicando que a dupla não é um 'casal'. "Todo mundo pergunta isso, se estamos juntos. Mas não, temos outras pessoas em nossas vidas, nossa parceria é mesmo música", afirma a cantora, que, cruzou o Atlântico para se apresentar em Paris.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.