Acessar o conteúdo principal
Cinema/Berlinale

Berlinale é aberta com protesto do júri pela prisão de cineasta iraniano

A cadeira vazia simbolizouo o protesto do júri pela ausência do cineasta Jafar Panahi, preso no Irã.
A cadeira vazia simbolizouo o protesto do júri pela ausência do cineasta Jafar Panahi, preso no Irã. Reuters

Um protesto simbólico da comissão de jurados da Berlinale devido a ausência do cineasta iraniano Jafar Panahi marcou o lançamento da Berlinale nesta quinta-feira. Durante os 10 dias de evento serão exibidos cerca de  400 filmes de 58 países.

Publicidade

Durante a conferência de imprensa de lançamento do festival, uma cadeira vazia foi colocada no palco para marcar a ausência do cineasta iraniano Jafar Panahi. O diretor foi convidado para compor o corpo de 7 jurados que irão anunciar os vencedores do festival no dia 19 de fevereiro.

Panahi foi condenado em dezembro a 6 anos de prisão por conspiração contra o estado. As autoridades do Irã proibiram o cineasta de fazer novos filmes e de viajar ao exterior durante 20 anos.

Premiado nos três principais festivais internacionais de cinema (Cannes, Berlim e Veneza), Jafar Panahi apoiou o candidato de oposição Mirhossein Moussavi nas eleições presidenciais de 2009, vencida pelo presidente Mahmoud Ahmadinejad apesar das denúncias de fraudes.

"Não vamos desistir", disse durante a coletiva a presidente do Júri, Isabelle Rosselini, sobre a mobilização da classe artística para tentar a libertação do cineasta, autor do filme "O Balão branco", vencedor da Caméra d’Or do festival de Cannes em 1995.

A direção da Berlinale decidiu exibir 5 filmes de Jafar Panahi durante a realização do festival.

Tropa de Elite

No telão, o Festival Internacional de Cinema de Berlim será aberto com a exibição do filme "Bravura Indômita", um faroeste dirigido pelos irmãos Coen. A produção, fora da competição oficial pela disputa do prêmio Urso de Ouro, é uma refilmagem de um clássico do western de 1969 protagonizado por John Wayne.

Este ano não há um representante brasileiro entre os 16 trabalhos que concorrem ao Urso de Ouro, o prêmio máximo do Festival de Berlim.

Cena do filme "Os residentes" do diretor Tiago Mata Machado
Cena do filme "Os residentes" do diretor Tiago Mata Machado Melissa Dullius, Gustavo Jahn

O Brasil está com três produções em mostras paralelas. Um dos destaques é Tropa de Elite 2, do diretor José Padilha. O filme é atração da seção Panorama. O primeiro Tropa de Elite ganhou o Urso de Ouro de melhor filme do Festival de Berlim de 2008.

O longa “Os Residentes“, do cineasta mineiro Tiago Mata Machado será exibido na mostra Forum. E o curta-metragem Ensolarado, do tambem mineiro Ricardo Targino, é destaque na seção Generation, dedicada a temas da infância e juventude.

Entre as estrelas aguardadas para desfilar pelo tapete vermelho do festival estão Jeff Bridges, Liam Neeson, Kevin Spacey e Demi Moore, além da atriz Isabella Rossellini, presidente do júri este ano.

A cantora Madonna também deve vir à capital alemã para promover seu novo trabalho como diretora. Ela deve apresentar um trecho de seu filme, ainda inacabado, no mercado do festival, somente para um seleto público de profissionais de cinema.
 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.