Acessar o conteúdo principal
Brasil/Portugal

Escritor Dalton Trevisan vence Prêmio Camões

Foto antiga de Dalton Trevisan, conhecido por ser avesso a entrevistas.
Foto antiga de Dalton Trevisan, conhecido por ser avesso a entrevistas.

Aos 86 anos, o escritor brasileiro Dalton Trevisan foi o grande vencedor da 24ª edição do Prêmio Camões, o mais importante da literatura de língua portuguesa, criado em 1988 por Brasil e Portugal. O anúncio foi feito nesta segunda-feira pelo secretário da Cultura português, Francisco José Viegas.  

Publicidade

"A decisão de premiar Dalton Trevisan foi uma escolha radical em favor da literatura como arte da palavra", afirmou o presidente da bancada, o escritor brasileiro Silviano Santiago. Ele também destacou "as experiências incessantes que o laureado faz com a língua portuguesa, uma dedicação incondicional à escrita, em detrimento das distrações da vida pessoal e social."

O nome de Trevisan foi escolhido por unanimidade. "Depois de duas horas maravilhosas de discussões chegamos a essa decisão consensual", disse Silviano Santiago, explicando as razões: "Primeiramente, pela contribuição extraordinária de Dalton Trevisan para a arte do conto, em particular para o enriquecimento de uma tradição que vem de Machado de Assis, no Brasil, de Edgar Allan Poe, nos EUA, e de Borges, na Argentina."

Dalton Trevisan nasceu em Curitiba em 14 de junho de 1925. Entre dezenas de obras famosas, "O Vampiro de Curitiba" (1965) é uma das mais conhecidas. Podemos citar igualmente "Vozes do Retrato - Quinze Histórias de Mentiras e Verdades" (1998), "O Maníaco do Olho Verde" (2008), "Violetas e Pavões" (2009), "O grande deflorador" (2000), "Desgracida" (2010) e "O Anão e a Ninfeta" (2011).

História do Prêmio Camões

O Prêmio Camões, atualmente no valor de 100.000 euros (cerca de R$259.000) foi criado em 1989 pelo Brasil e por Portugal com o objetivo de homenagear os autores que contribuem para o reconhecimento da língua portuguesa.

O português Miguel Torga foi o primeiro escritor a receber o prêmio. Os premiados ao longo das 24 edições foram João Cabral de Melo Neto, José Craveirinha, Vergílio Ferreira, Rachel de Queiroz, Jorge Amado, José Saramago, Eduardo Lourenço, Pepetela, Antonio Candido, Sophia de Mello Breyner Andresen, Autran Dourado, Eugénio de Andrade, Maria Velho da Costa, Rubem Fonseca, Agustina Bessa-Luís, Lygia Fagundes Telles,Luandino Vieira, António Lobo Antunes, João Ubaldo Ribeiro, Arménio Vieira e Ferreira Gullar. No ano passado, o português Manuel António Pina foi o vencedor.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.