Acessar o conteúdo principal
Cinema/Golden Globe

"Argo" e "Os Miseráveis" foram o destaque do Globo de Ouro 2013

O ator Ben Affleck, que interpreta uma das personagens e realizou o filme Argo, conquista Globo de Ouro de melhor diretor.
O ator Ben Affleck, que interpreta uma das personagens e realizou o filme Argo, conquista Globo de Ouro de melhor diretor. REUTERS/Paul Drinkwater/NBC/Handout

O filme "Argo" foi o grande vencedor do prestigioso Globo de Ouro e desbancou o grande favorito "Lincoln", de Steven Spielberg. O filme de Ben Affleck conquistou os prêmios de melhor filme e de melhor diretor. "Amor", filme do austríaco Michael Haneke, venceu o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro.

Publicidade

Colaboração de Lucas Besse para a RFI.

O filme "Argo", de Ben Affleck, ganhou dois dos principais prêmios da noite- o de melhor diretor para o próprio Affleck, que bateu o favorito Steven Spielberg com seu Lincoln, e ainda venceu na categoria melhor fillme dramático. O longa conta a história verdadeira da missão da CIA para resgatar diplomatas americanos de Teerã durante a revolução iraniana em 1979.

O musical "Os Miseráveis" foi o grande vencedor da noite, levando três troféus para casa: melhor filme na categoria comédia ou musical, melhor ator de comédia ou musical para Hugh Jackman e atriz coadjuvante para Anne Hathaway. O filme é a adaptação da obra do escritor francês Victor Hugo e é sucesso nos palcos da Broadway há mais de 25 anos.

"Django Unchained", de Quentin Tarantino, venceu dois prêmios importantes da noite: o de melhor ator coadjuvante para o austríaco Christoph Waltz e o de melhor roteiro para Tarantino, que pareceu bastante surpreso ao receber a estatueta. O filme ainda conta com Jamie Fox e Leonardo Dicaprio.

Um dos favoritos ao Oscar, o filme de Steven Spielberg "Lincoln", levou somente um prêmio para casa, o de melhor ator para Daniel Day Lewis, que vive o presidente Abraham Lincoln.

Além da distribuição de prêmios, a noite ainda contou com discursos e esquetes de comédia. As comediantes Tina Fey e Amy Poehler apresentaram a cerimônia e foram responsáveis por algumas das gargalhadas da premiação. O ex-presidente Bill Clinton, fez uma aparição para apresentar a exibição do clipe de "Lincoln" e não poupou elogios ao longa, que chamou de "brilhante".

Mas um dos discursos mais emocionantes da noite foi o da atriz Jodie Foster, homenageada pelo conjunto da obra. A atriz de 50 anos, que trabalha no ramo desde os 3 anos, destacou a importância da privacidade na vida dos artistas e declarou pela primeira vez em público sua homossexualidade. "Espero que não se decepcionem com o fato de que não haverá um grande discurso de saída do armário. Eu ja saí do armário há mil anos".

Nas categorias de televisão, Homeland foi o principal destaque, levando os prêmios de melhor série dramática, ator  (Damian Lewis) e atriz (Claire Danes). A nova sensação da televisão americana "Girls" faturou o prêmio de melhor série de comédia e o de melhor atriz para Lena Dunham.

Clique para conferir a galeria de fotos da premiação:

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.