Acessar o conteúdo principal
Cinema/escândalo

Woody Allen nega acusações de abuso sexual feitas por filha adotiva

O cineasta Woody Allen, 78, é acusado novamente de abuso sexual por filha adotiva.
O cineasta Woody Allen, 78, é acusado novamente de abuso sexual por filha adotiva. wikipédia

Woody Allen negou domingo (2) as acusações de abuso sexual feitas por sua filha adotiva Dylan Farrow. Em carta ao New York Times, a jovem relatou, que aos 7 anos, foi agredida pelo cineasta.

Publicidade

“Falsas e vergonhosas”. Assim Woody Allen qualificou ontem as acusações de abuso sexual feitas por sua filha adotiva Dylan Farrow, 28. Segundo a porta-voz do cineasta, Leslee Dart, ele irá “responder em breve” às declarações da jovem.

As primeiras acusações de abuso sexual de Allen contra Dylan Farrow datam de 1992. Na ocasião, o cineasta americano estava em meio a um tumultuado processo de separação de Mia Farrow. A atriz descobriu que o diretor mantinha um relacionamento com Soon-Yi Previn, então com 19 anos. A jovem era filha adotiva de Farrow.

De acordo com o advogado Elkan Abramowitz, que já defendeu o cineasta, “é trágico que, depois de 20 anos, uma história inventada por uma amante vingativa volte à tona e que seja alvo de uma investigação depois de já ter sido rejeitada [previamente] por autoridades independentes”, afirmou.

Dylan Farrow insiste, porém, que o abuso supostamente cometido por Woody Allen ainda a atormenta. “Quando eu tinha 7 anos, ele me levou para um porão mal-iluminado no segundo andar da nossa casa. Ele me mandou deitar de bruços e brincar com o trem elétrico do meu irmão. Em seguida, ele me agrediu sexualmente”, escreveu a jovem em uma carta publicada ontem pelo New York Times.

Ela escreveu ainda que o seu “tormento piorou por causa de Hollywood”. “Com raras exceções, todos fecharam os olhos. A maioria acha mais fácil aceitar a ambiguidade”.  "Sei que é a palavra dele contra a minha", diz Dylan Farrow.  "Mas, para mim, é muito real porque eu estava lá".

Prêmios

O último filme de Allen, "Blue Jasmine", foi indicado a 3 Oscars, incluindo melhor atriz (Cate Blanchett), melhor atriz coadjuvante (Sally Hawkins) e melhor roteiro. Para a filha adotiva que acusa Allen de tê-la agredido, esse foi o estopim para que ela relatasse publicamente sua experiência traumática. “Cada vez que via o rosto do meu agressor em cartazes, camisetas e na televisão, eu tinha vontade de me esconder. Ficava em pânico”.

No mês passado, Woody Allen, 78, recebeu um Globo de Ouro pelo conjunto da sua obra. Diane Keaton recebeu o troféu em nome do cineasta. Para Dylan Farrow, essa foi uma ofensa. Em sua carta aberta, ele se dirigiu diretamente à atriz que foi namorada de Allen. “Você me conheceu quando eu era uma menina, Diane Keaton. Você se esqueceu de mim?”
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.