Acessar o conteúdo principal
Cannes/Godard

Jean-Luc Godard volta à competição oficial em Cannes com filme em 3D

Cena do filma de Jean-Luc Godard- "Adieu aux Langage".
Cena do filma de Jean-Luc Godard- "Adieu aux Langage". festival de cannes.fr

Muita expectativa nesta quarta-feira (21), em Cannes. Os participantes do festival mais badalado do mundo vão descobrir o novo filme de Jean-Luc Godard, "Adieu au Langage" que disputa a Palma de Ouro. O outro filme do dia na competição oficial é "The Search", de Michel Hazanavicius. "O Sal da Terra", documentário sobre o fotógrafo Sebastião Salgado, exibido ontem, foi ovacionado pelo público e recebeu excelentes críticas. 

Publicidade

Fiel a suas convicções, o franco-suíço Godard, de 83 anos, avisou, como em anos anteriores, que não tem a menor intenção de ir ao Festival defender "Adieu au Langage”, filmado em 3D. Lenda viva do cinema mundial, Godard continua nesse último filme a inovar a linguagem cinematográfica. A sinopse do longa, enviada em forma de poesia por Godard, é uma bela indicação dessa busca:

"O propósito é simples
Uma mulher casada e um homem livre se conhecem
Amam-se, brigam, batem um ao outro
Um cão erra entre a cidade e o campo
As estações passam
O homem e a mulher voltam a encontrar-se
O cão encontra-se entre eles
O outro está num
E um está no outro
E são três pessoas
O antigo marido manda tudo às urtigas
Começa um segundo filme
O mesmo que o primeiro
E no entanto não o é
Da espécie humana passamos para a metáfora
Acabará com latidos
E gritos de bebê"

Traumas de guerra

O outro filme em competição, “The Search” (“A Busca”, em tradução livre) nesta quarta-feira é do cineasta francês, Michel Hazanavicius, que ficou mundialmente famoso com a comédia muda "O Artista", que venceu o Oscar. “The Search” mergulha no horror da guerra da Chechênia, no final dos anos 90, e conta o destino de quatro personagens, cujas vidas são transformadas pelo conflito. “The Search” é um remake do filme americano de Fred Zinnermann, de 1948, sobre o traumatismo da guerra.

Sebastião Salgado

O único filme brasileiro que participa de Cannes este ano foi exibido ontem à noite na mostra paralela Um Certo Olhar. O documentário “O Sal da Terra”, de Juliano Salgado e Wim Wenders, que conta os 40 anos de carreira do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, foi ovacionado pelo público e muito bem recebido pela crítica.

“É um filme modesto para valorizar o grande trabalho do fotógrafo”, explicou Wender, 68 anos, antes da projeção.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.