Acessar o conteúdo principal
Cultura

Brasil continua inspirando escritores franceses

Áudio 04:29
Jean-Paul Delfino, escritor francês, apaixonado pelo Brasil.
Jean-Paul Delfino, escritor francês, apaixonado pelo Brasil. RFI

O Brasil é um dos temas do Festival Internacional Literário «Étonnants Voyageurs» (Viajantes surpreendentes) de Saint-Malo, um dos mais importantes da França, que termina nesta segunda-feira (9). O evento, organizado em torno da literatura de viagens, convidou onze escritores brasileiros para virem à cidade portuária da Bretanha francesa falar sobre o país e suas transformações recentes. Esse time foi reforçado com seis autores, principalmente franceses, fascinados pelo Brasil e que têm livros sobre o país.

Publicidade

Ao contrário dos brasileiros, que revelaram em Saint-Malo uma visão crítica de um país em crise, os estrangeiros falaram de um país que, apesar dos problemas, ainda encanta e faz sonhar. O veterano do grupo, o francês Gilles Lapouge, escreve sobre e para o Brasil há mais de 63 anos. Ele é correspondente do jornal o Estado de São Paulo e tem vários livros sobre o Brasil, entre eles «A missão das fronteiras», «Équinoxiales» e « Dicionário amoroso do Brasil». Lapouge, que já recebeu vários prêmios literários por sua obra e é um dos fundadores do festival Étonnants Voyageurs, diz que sua paixão pelo Brasil continua intacta.

Saudade

Jean-Paul Delfino é outro escritor francês que assume sua paixão pelo Brasil. Ele é autor de uma saga sobre o país, ou mais precisamente, sobre a história do Rio de Janeiro. «Saudade», o oitavo romance da série, editado pela «Le Passage», acaba de chegar às livrarias, e o nono livro já está a caminho. Jean-Paul Delfino diz que começou a escrever sobre o Brasil para pagar uma dívida com o país. Delfino afirma que o Brasil e a cultura brasileira abriram seu mundo e o transformaram.

Jean-Yves Loude também tem vários livros sobre o Brasil. No último, «Pépites brésiliennes» (Pepitas brasileiras), publicado pela Actes Sud, o etnólogo percorre mais de 5 mil quilômetros, do Rio de Janeiro a São Luis, em busca da memória africana no país.

Cerca de 60 mil visitantes participam todos os anos dos três dias de encontros, mesas redondas, projeções de filmes e sessões de autógrafos do festival literário de Saint-Malo. A 25ª edição do evento, que termina hoje, reuniu 250 escritores de mais de 40 países.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.