Acessar o conteúdo principal

Vanguarda russa em Londres, Courbet na Suíça, uma estátua para Amy...

Áudio 09:47
Pintura realizada na França em 1866 mostra a caça aos cervos.
Pintura realizada na França em 1866 mostra a caça aos cervos. DR/Ordrupgaard, Kopenhagen

Descobrir em Londres um dos maiores talentos russos da vanguarda do século XX, mergulhar no universo complexo do pintor francês mais polêmico de todos os tempos na Suíça, homenagear a inesquecível Amy Winehouse...

Publicidade

Nem todo mundo conhece Kazimir Malevich, um dos nomes mais expressivos do movimento vanguardista russo do começo de 1900, chamado suprematismo, época em que o país foi palco de mostras de uma geração de pintores inovadores e surpreendentes, que questionaram o seu tempo de forma intensa e criativa.

Auto-retrato de Kasimir Malevich, realizado entre 1908 e 1910.
Auto-retrato de Kasimir Malevich, realizado entre 1908 e 1910. © State Tretyakov Gallery, Moscow

A Tate Modern oferece a primeira retrospectiva do país dedicada ao pintor, cuja obra foi marcada pela colaboração com poetas e músicos em conceitos puros e abstratos, dentro de um coletivo chamado UNOVIS (Afirmadores da Nova Arte).

Seus desenhos arquitetônicos em cores fortes expressam a inquietação que acompanhou a vida política do seu país, da autocracia do Tsar Nicolas II à revolta de São Petersburgo em 1905, quando um grupo de manifestantes que pediam uma sociedade mais democrática foram massacrados. Drama seguido pela revolução no mesmo ano que estabeleceu algumas reformas tímidas.

O curador da mostra, Achim Borchardt-Hume, fala sobre o artista: "Esta é a primeira grande retrospectiva de Malevich no Reino Unido, com 420 obras vindas de 11 países. Esta é uma oportunidade única de se ver e reavaliar o talento desse artista".

O curador também lembra que foi preciso esperar para as criações do artista serem expostas posi havia sido perseguido pelo regime e chegou a ser preso e torturado: "No fim de sua vida, Malevich se sentiu pronto para mostrar sua obra, mas infelizmente morreu logo depois. Seus trabalhos foram guardados em um depósito e até correram o risco de ser destruídos. Mas alguns curadores decididos salvaram sua produção e, quando foi possível, fizeram o mundo descobrir a beleza de suas telas".

A mostra "Malevich, a Arte Revolucionária da Rússia" fica em cartaz até 26 de outubro.

Uma estátua para Amy

Amy Winehouse completaria 31 anos no domingo, 14 de setembro de 2014.
Amy Winehouse completaria 31 anos no domingo, 14 de setembro de 2014. © Andrea Avezzù/Bienal de Veneza

O álcool e as drogas a tiraram de nós muito cedo, com apenas 27 anos, mas não dá para a gente esquecer a cantora inglesa Amy Winehouse...

E para provar seu amor incondicional, sua família, amigos e fãs inauguram neste domingo, 14 de setembro, sua escultura em bronze no Mercado de Camdem Stables, em Londres, um lugar pitoresco repleto de barraquinhas que vendem antiguidades e artigos vintage. Bem no estilo da Amy, que faria 31 anos no domingo e adorava Candem Town! O apartamento em que morava ficava a poucas quadras de lá.

Em tamanho natural, a estátua foi criada pelo artista plástico Scott Eaton. Patrocinada pela Fundação Amy Winehouse, a obra também tem informações sobre prevenção e efeitos das drogas e do álcool entre jovens fazem parte da criação.

No ano passado, diversas homenagens lembraram os 30 anos da cantora. Em julho passado, o Museu Judaico de Camden abriu uma exposição chamada "Amy Winehouse: Um Retrato de Família", dedicada à sua memória.

Paisagens de Courbet

Quando pensamos no pintor realista francês Gustave Courbet, logo imaginamos o quadro mais polêmico de todos

"Flores sobre um banco", pintura realizada em 1862 por Gustave Courbet.
"Flores sobre um banco", pintura realizada em 1862 por Gustave Courbet. Collection des musées d’Art et d’Histoire de la Ville de Genève

os tempos, "A Origem do Mundo", realizado em 1866.

Em sua nova mostra, a Fundação Beyeler, que fica na idade suíça da Basileia, decidiu revelar um outro lado do artista com uma  exposição que mostra todas as fases da sua carreira, incluindo pinturas que raramente foram exibidas ao público. A retrospectiva é a maior dedicada a Courbet no país, nos últimos quinze anos.

Os admiradores certamente vão se encantar com as pinturas campestres de animais e flores, rochas e grutas, que revolucionaram a pintura de paisagens na época. E as telas com cenas hibernais, em branco, mostram toda a virtuosidade de Courbet.

As cenas de caça também são impressionantes e realistas, pois nem todo mundo sabe que caçar era um dos seus hobbies preferidos.

Com curadoria de Ulf Kuster, a mostra fica em cartaz de 7 de setembro deste ano a 18 de janeiro de 2015.

Veja o vídeo da dupla Milky Dance, a música é Stolen Dance...

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.