Acessar o conteúdo principal
Cultura

Maria Bethânia é homenageada em festival de cinema brasileiro de Paris

Áudio 08:24
Cena de "Bethânia bem de perto".
Cena de "Bethânia bem de perto". Divulgação

Com uma homenagem especial a Maria Bethânia, começa em Paris o festival de cinema brasileiro de Paris. Outro tema em destaque são as adaptações literárias para a tela. O evento traz também um apanhado de produções recentes, entre ficções, curtas e documentários.

Publicidade

Maria Bethânia está presente em documentários de três fases diferentes de sua carreira. “Bethânia bem de perto” (1966), de Eduardo Escorel e Júlio Bressane, apresenta uma jovem artista promissora, dinâmica e genial.

“Os Doces Bárbaros” (1977), de Jom Tob Azulay, é a celebração de dez anos de carreira de um quarteto baiano fabuloso, formado por Bethânia, Gil, Gal e Caetano. Já em “O vento lá fora” (2014), de Márcio Debellian, a diva da MPB recita Fernando Pessoa, ao lado de Cleonice Berardinelli.

Livros e tela

Aproveitando a presença forte do Brasil no último Salão do Livro de Paris, o festival de cinema brasileiro traz oito adaptações literárias para as telas de cinema: “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, “Romance da Empregada”, “Lição de Amor”, “Lavoura Arcaica”, “Vidas Secas”, “O Beijo da Mulher Aranha”, “Capitães de Areia” e “Meu Pé de Laranja Lima”.

O ator José de Abreu faz o Portuga da adaptação do romance de José Mauro de Vasconcelos, de 2012, por Marcos Bernstein. Em entrevista exclusiva à RFI, ele conta que não leu o livro quando era jovem. “Eu tinha complexo de vira-lata, não gostava de nada que fizesse sucesso”.

Mas José de Abreu revela que o romance sobre o garoto Zezé era um sucesso de vendas quando ele tinha uma livraria nos tempos de faculdade. “Acabei lendo e até cruzei com o José Mauro de Vasconcelos em uma pousada no litoral paulista, quando eu me escondia do Dops e ele escrevia algum novo romance”.

O festival de cinema brasileiro também apresenta uma série de filmes ainda inéditos no circuito francês, entre longas, documentários e curtas. As sessões, com presença de artistas e realizadores, acontecem no cine Arlequin, de Paris, até o dia 14 de abril.
 

Cena de "Meu Pé de Laranja Lima".
Cena de "Meu Pé de Laranja Lima". Divulgação

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.