Acessar o conteúdo principal

Museu de Tóquio expõe obra recentemente descoberta de Caravaggio

Visitantes fotografam "Maria Madalena em Êxtase", de Caravaggio, em Tóquio
Visitantes fotografam "Maria Madalena em Êxtase", de Caravaggio, em Tóquio AP

Uma pintura do artista barroco italiano Caravaggio (1571-1610), recentemente descoberta, está sendo exibida ao público em Tóquio. "Maria Madalena em Êxtase" foi encontrada em uma coleção particular em 2014 e identificada como original pela historiadora de arte italiana Mina Gregori, especialista no pintor. A obra de 1606 era conhecida apenas por cópias realizadas por discípulos dele.

Publicidade

O quadro, junto com outros 10 do italiano, faz parte da exposição "Caravaggio e Sua Época: Amigos, Rivais e Inimigos", que foi inaugurada na terça-feira (1°) no Museu Nacional de Arte Ocidental da capital japonesa. A mostra, que vai até o dia 12 de junho, inclui ainda 40 pinturas de outros artistas, que foram influenciados por ele.

Caravaggio, que morreu em 1610, foi um artista inovador e considerado um dos fundadores do barroco. Seu trabalho influenciou muitos pintores do século 17 e pode ser visto em grandes museus espalhados pelo mundo, como Galleria Borghese (Roma), Galleria degli Uffizi (Florença), Museu do Louvre (Paris) e Museu do Prado (Madri).

Caravaggio pintou fundamentalmente temas religiosos

Michelangelo Merisi, conhecido como Caravaggio, por ter nascido em uma aldeia italiana com esse nome, trabalhou em Roma, Nápoles, Malta e Sicília entre 1593 e 1610.

Com exceção das primeiras obras, Caravaggio pintou fundamentalmente temas religiosos. No entanto, várias  vezes suas pinturas feriram a sensibilidade dos seus clientes. O motivo: em vez de retratar figuras etéreas e delicadas, para representar acontecimentos e personagens bíblicos, ele usava, como modelos, prostitutas, crianças de rua e mendigos.

Caravaggio procurou a realidade palpável e concreta na representação. Ele não tinha receio de retratar a feiúra e a deformidade em cenas provocadoras. A partir da técnica que Caravaggio usava em seus quadros, originou-se o tenebrismo, uma corrente estilística em que os tons terrosos contrastam com os fortes pontos de luz.

Morte em circunstâncias desconhecidas

Após uma carreira de pouco mais de uma década, Caravaggio morreu em circunstâncias desconhecidas aos 38 anos. Seu corpo permaneceu em local desconhecido por séculos.

Apenas em 2010 uma equipe de cientistas e universitários italianos do Comitê Caravaggio anunciou a identificação dos restos mortais do pintor, graças a análises de DNA e à técnica de datação por carbono-14, no pequeno cemitério de Porto Ercole, na Toscana. A probabilidade de certeza dessa descoberta, segundo os pesquisadores, é de 85%.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.