Acessar o conteúdo principal
Cultura

Música é inspiração para escritores brasileiros no Salão de Paris

Áudio 07:07
Rômulo Marques
Rômulo Marques Divulgação

A relação entre música e literatura está presente na carreira de dois escritores convidados este ano para representar o Brasil no Livro Paris, o novo nome da feira literária da capital francesa, que abriu as portas ontem no centro de convenções Porte de Versailles. São eles o gaúcho Jéferson Assumção e o mineiro Rômulo Marques.

Publicidade

Autor de mais de 20 livros, Jéferson Assumção, que também é guitarrista e vocalista da banda de funk-rock Gorda, está lançando o romance "Notas sobre Turíbio Núñez, Escritor Caído" e o livro de contos "Cabeça de Mulher Olhando a Neve".

Ele conta como a música está presente na sua prosa:"A literatura é um sistema de sons. São sons de uma língua que se organizam, junto com imagens criadas por esses próprios sons e que, por sua vez, fazem um conjunto de pensamentos e de reflexões. Tudo isso tem a ver com o som. A origem e a base são o som. É um conjunto de sons que se organizam e estabelece uma camada de musicalidade no que está escrito. A prosa, quando bem feita, tem uma camada de música".

A influência também ocorre no sentido inverso. "A gente tenta colocar muita literatura e poesia nas letras, que são vanguardistas e dialogam com a vanguarda paulista dos anos 1980, com Itamar Assunção e Arrigo Barnabé, essa turma que eu acho maravilhosa. Há uma combinação muito boa entre música e poesia. Eu tento fazer com que sejam letras muito provocativas, que façam pensar sobre diferentes realidades", explica.

Ritmo da leitura e sonoridade das palavras

Já o mineiro Rômulo Marques, que lança o livro juvenil "Voos e Sonhos na Mata", tem uma longa carreira musical tocando baixo acústico com músicos brasileiros e franceses e revela a influência da música na escrita: "Quando a gente escreve, ficamos preocupados com o ritmo e o tempo da leitura, então a gente cuida das frases para que não fiquem tão longas, da sonoridade das palavras", diz. No grupo que ele toca, Rua 1, "as letras são o elo entre a literatura e a música..

O último livro de Jéferson Assumção, "Notas sobre Turíbio Núñez, Escritor Caído", publicado em edição bilíngue português-espanhol, conta a história de um escritor argentino fictício que tem o sonho de ser tornar um autor brasileiro.

"É uma obra que fala de identidade, de nomadismo, da relação da literatura brasileira com a argentina, desse amor recíproco. Traz também uma perspectiva importante para pensar sobre a autoficção, porque essa notas do título são escritas por Turíbio. E o livro tem 16 narradores que se relacionam entre si, e Turíbio sempre aparece de uma forma lateral", explica.

Já "Voos e Sonhos na Mata", de Rômulo Marques, tem uma mensagem ecológica e foi inspirado nas consequências da construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. "Quando há uma obra assim sempre há uma promessa de preservar a floresta e os animais. Mas, quando eles explodem pra fazer uma nova barragem, eles esquecem que há animais dormindo que não conseguem se salvar. A cobra não pode sair voando, por exemplo. Ficam perdidos. Tem uma consequência drástica no meio natural", opina.

O Livro Paris vai até domingo, 20 de março. Para ver toda a programação do evento, visite o site www.livreparis.com.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.