Acessar o conteúdo principal
Vargas Llosa/Peru

Para Vargas Llosa, vitória de Keiko Fujimori no Peru seria “catástrofe”

O escritor Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura, em Madri, dia 1/3/2016.
O escritor Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura, em Madri, dia 1/3/2016. REUTERS/Andrea Comas

De passagem por Paris, Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura, falou com exclusividade à RFI a respeito das eleições presidenciais no Peru, domingo. Ele também negou ter conhecimento de uma empresa offshore em seu nome, citada no escândalo Panama Papers.

Publicidade

As pesquisas de opinião indicam que a filha do ex-presidente Alberto Fujimori pode alcançar 34% dos votos no pleito presidencial de domingo. O pai cumpre atualmente pena de prisão por corrupção e crimes contra a humanidade. Vargas Llosa garantiu que vai votar em Pedro Pablo Kuczynski, de centro-direita.

“Uma vitória de Keiko Fujimori seria uma catástrofe”, declarou o escritor, de maneira enfática. “Seria reivindicar uma das ditaduras mais sanguinárias e sobretudo corrompidas que o país já teve. Creio que há um setor da população que sonha com a volta de um homem forte. Mas estou certo de que ela será derrotada no segundo turno, seja quem for o adversário”.

Autor peruano tem obra reunida em coleção francesa de prestígio

O prêmio Nobel esteve em Paris para o lançamento de seu último romance, “Cinco Esquinas”, ambientada justamente durante a ditadura de Fujimori. Outros oito livros do autor peruano aparecem também La Pléiade, da editora Gallimard, que reúne os mais importantes autores da literatura universal. Vargas Llosa é um dos raros escritores, e único estrangeiro, a receber a honra ainda em vida.

“Quase desmaiei de emoção quando soube”, declarou o escritor no auditório do Instituto Cervantes, de Paris, nesta quinta-feira (7), falando a respeito de sua inclusão na coleção francesa. Ele disse ainda que Lima foi uma fonte de inspiração e expressou  apego por Paris, onde viveu na juventude.

“Gosto muito da França, devo muito a ela. Quando jovem, eu tinha a ideia de que uma pessoa que quisesse se tornar escritor tinha que vir a Paris. Pode parecer ingenuidade, mas se hoje sou um autor, em grande parte devo isso à França e a seus escritores”, declarou o Nobel.

“Nunca coloquei um dólar nessa empresa”, diz Vargas Llosa sobre conta offshore

Segundo o jornal digital espanhol El Confidencial, integrante do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICJI), que divulgou os documentos da Mossack Fonseca, Vargas Llosa e Patricia Llosa, da qual está em processo de divórcio, estão vinculados à empresa Talome Services Corp. A offshore estava registrada no paraíso fiscal das Ilhas Virgens, de 1° de setembro a 6 de outubro de 2016.

Questionado por jornalistas ainda no Instituto Cervantes a respeito do escândalo Panama Papers, o escritor declarou que não sabia da existência da conta. “Estou surpreso e desconheço essa conta aberta durante cinco semanas em meu nome e no de minha mulher”, declarou. “Nunca coloquei um dólar nessa empresa”, acrescentou Vargas Llosa.
 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.