Acessar o conteúdo principal
Música/Samba

Teresa Cristina encerra festival em Paris com Cartola e Criolo

Ensaio em Paris: Carlinhos 7 Cordas, Criolo e Teresa Cristina.
Ensaio em Paris: Carlinhos 7 Cordas, Criolo e Teresa Cristina. Patricia Moribe

 A 18ª edição do Festival de Cinema Brasileiro de Paris, organizado pela Associação Jangada, termina nesta terça-feira (12) com um concerto de Teresa Cristina apresentando o repertório de Cartola. No palco, ela recebe um convidado especial: Criolo. Os ingressos para o concerto estavam esgotados.

Publicidade

“Foi uma coincidência, pois ele trabalha como ator no último filme do evento, Tudo que Aprendemos Juntos, e daí sugeriram a reunião no palco”, conta a cantora e compositora, que recebeu a RFI Brasil com exclusividade em Paris.

Portelense, ela conta que o interesse em cantar o mangueirense Cartola era antigo. “Em alguns momentos, eu achava que o Cartola não precisava de novas regravações. Até que fui convidada pelo Real Gabinete Português de Literatura, no Rio de Janeiro, para fazer uma apresentação de encerramento de um projeto de literatura e montei um show de trinta minutos com o repertório de Cartola".

O sucesso foi grande e ela ficou “com gostinho de cantar mais Cartola”. E, de meia hora, o show se expandiu rapidamente para uma hora, virando “Teresa Cristina canta Cartola”, acompanhada pelo violão de Carlinhos 7 Cordas, com casas lotadas em todo o Brasil e novas datas que vão se abrindo.

“Uma dose de uísque ajuda a entrar nesse universo”

Mas ela admite que interpretar o mundo de Cartola, de emoções profundas, não é fácil. “Não é à toa que eu, durante os shows, tomo uma dose de uísque para, nesse universo mais denso, me proteger.”

Teresa Cristina encerra festival em Paris com Cartola e Criolo
Teresa Cristina encerra festival em Paris com Cartola e Criolo Patricia Moribe

“Acho que o Cartola está acima de qualquer bandeira quando se fala de música brasileira, de samba brasileiro. É um compositor muito importante, tem uma linha melódica que influenciou várias pessoas que eu admiro. Sem ele, a gente não teria um compositor do naipe do Paulinho da Viola, por exemplo, que foi muito influenciado pelo violão e pela linha melódica de Cartola.”

Coincidência reúne Teresa Cristina e Criolo em Paris

“Já nos encontramos várias vezes, já cantamos em situações descontraídas”, conta a sambista. “É uma pessoa muito atenta, vem de um lugar diferente, mas nossa língua é a mesma. Ele é um artista preocupado com o que acontece ao redor, no Brasil, com a música, o trabalho dele é muito bem fundamentado. Tenho certeza de que ele vai cantar Cartola muito bem”, diz.

Para o dueto, ela escolheu “Tive Sim”. A sambista conta que, como todos os sambas das décadas de 1950, 1960 e 1970, a música é carregada de um discurso masculino com uma mão muito pesada. “Um machismo não intencional”, acredita, “onde a mulher é sempre a causadora do sofrimento do homem, ela não presta, é leviana e mascarada”. Para descontrair, cada um vai fazer sua versão da história - Criolo cantando um amor passado e Teresa Cristina relatando o dela .

Teresa Cristina prepara novo álbum autoral

Ela define o show como um bom “esquenta” para o seu novo trabalho autoral, que ela vem produzindo com carinho e vai ser lançado ainda este ano. O álbum vai contar com participação de parceiros amigos: como Moacyr Luz, Marisa Monte, César Mendes e Adriana Calcanhoto, entre outros.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.