Acessar o conteúdo principal
Festival/Cinema

Curta sobre Amazônia é um dos mais visualizados do Festival Mobile Internacional

1 celular, 1 minuto, 1 filme: 50 filmes de 24 países estão na competição do Festival Internacional Mobile Film 2019.
1 celular, 1 minuto, 1 filme: 50 filmes de 24 países estão na competição do Festival Internacional Mobile Film 2019. Captura de tela: mobilefilmfestival.com e FB MobileFilmFestival

“Declaração”, do cineasta brasiliense David Murad, é um dos 50 curtas-metragens selecionados para a 15ª edição do Festival Internacional Mobile Film, que acontece até o dia 30 de novembro. Os filmes em competição estão disponíveis na internet, em todas as redes sociais, desde 14 de novembro. O curta brasileiro é um dos mais visualizados.

Publicidade

O festival Mobile Film, criado pelo francês Bruno Smadja, é um dos pioneiros a selecionar e promover obras 100% digitais. Com duração de apenas um minuto, os curtas são rodados exclusivamente com celular, visando democratizar a produção. A cada ano o evento promove uma temática diferente.

“Agir imediatamente contra as mudanças climáticas” é o tema da edição 2019, que conta com a parceria da agência da ONU para o Clima e do YouTube. Oitocentos curtas provenientes de 91 países foram inscritos, registrando um recorde de nações participantes. “Isso mostra a dimensão universal desse problema que todos nós enfrentamos no planeta”, disse em entrevista à RFI Bruno Smadja.

Cinquenta filmes, de 24 países, foram selecionados para a competição final. Eles abordam, com estilos e gêneros diferentes, várias temáticas relacionadas à urgência climática: lixo, reciclagem, aquecimento global, escassez de água, desmatamento, ativismo jovem...

Queimadas na Amazônia

“Declaração” é o único brasileiro na competição. O filme impactante fala de um tema extremamente atual: a crise das queimadas na Amazônia e a posição do governo brasileiro sobre o meio ambiente. O curta é um dos mais visualizados nas redes sociais do Festival Mobile Film. Em poucos dias, ele se tornou o campeão de visualizações no Twitter. No Youtube, já foi visto mais de 5,3 mil vezes, mas tem muitos mais deslikes do que likes.

Bruno Smadja explica esse sucesso pela qualidade do filme “forte” e pela temática tratada. “Ele aborda de uma maneira frontal a questão da política de Jair Bolsonaro sobre o clima. Sabemos a que ponto ele não faz nada, e muito pelo contrário, prioriza as indústrias poluidoras”, informa o fundador do festival.

David Murad realizou a obra em apenas duas semanas, logo após o discurso de Jair Bolsonaro na ONU em Nova York. O curta começa com planos fechados, em um futuro não muito distante. A fala do presidente sobre a Amazônia “intocada” é exibida em uma antiga televisão. A cena final, em plano aberto, é de tirar o fôlego. “A ideia do filme foi apresentar alguns fatos. A gente faz apenas uma montagem com imagens verdadeiras, reais. Cada um tira a conclusão da maneira que quiser. (...) A ideia do filme é que se visualize um futuro não tão distante assim. Na verdade, é um filme sobre negação, sobre a importância em não se negar os fatos para que as coisas graves não acontecem”, esclarece o diretor.

Para Murad, o grande número de deslikes e os comentários negativos contra “Declaração” acontecem justamente “por essa negação que está acontecendo no Brasil”. Mas o cineasta afirma não querer acusar ninguém com sua obra. “A ideia do filme, sinceramente, é apenas para provocar reflexão. Não é apontar o dedo. Tanto que a gente não quis colocar nada agressivo relacionado a ninguém, a nenhuma figura política. Hoje em dia nega-se a ciência, os especialistas, nega-se que exista mudanças climáticas, o aquecimento global no mundo. O filme não trata do que deve ser feito. É simplesmente para entender que negar não vai levar a gente a lugar nenhum, negar não é a saída”, disse o diretor.

Vencedores

Os internautas podem votar em seu curta preferido até o dia 30 de novembro. Os filmes serão também exibidos durante a COP25, em Madri, e utilizados durante um ano por 90 ONGs parceiras como material de conscientização sobre as mudanças climáticas.

Além do prêmio do público, o júri do Festival Mobile Film irá escolher os vencedores do Grande Prêmio Internacional, do Grande Prêmio da França, do melhor roteiro, direção e interpretação masculina e feminina. Os prêmios, de um valor total de € 46 mil (mais de R$ 200 mil), são revertidos em ajuda de produção ou de roteiro de um novo projeto. Os vencedores serão revelados no dia 3 de dezembro durante uma cerimônia em Paris, que contará com a presença de vários diretores, entre eles o brasileiro David Murad.

“Se ganhar e tiver a oportunidade de fazer um novo filme, de uma forma livre, de uma forma aberta, seria incrível, mas eu prefiro não criar muita expectativa. Tem muitos filmes bons participando”, diz o brasiliense.

Veja abaixo o curta “Declaração” de David Murad e clique aqui para assistir a todos os filmes em competição no Festival Mobile Film:

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.