Acessar o conteúdo principal
Estados Unidos/ Desemprego

Estados Unidos têm pior índice de desemprego do ano

Homem procura ofertas de emprego em uma agência de trabalho temporário da Califórnia.
Homem procura ofertas de emprego em uma agência de trabalho temporário da Califórnia. AFP PHOTO/Mark RALSTON

A taxa de desemprego nos Estados Unidos aumentou ao seu maior nível deste ano, ao mesmo tempo em que a oferta de emprego recuou, de acordo com estatísticas divulgadas hoje por Washington. A economia americana criou 54 mil empregos em maio, quatro vezes menos do que em abril e a taxa mais baixa desde setembro do ano passado, conforme o relatório do Ministério do Trabalho, publicado mensalmente.

Publicidade

Os números surpreenderam analistas, que esperavam dados três vezes maior. O ritmo médio de novas vagas estava sendo de 220 mil por mês desde fevereiro. Por consequência, o índice de desemprego subiu para 9,1%, o maior desde dezembro, quando atingiu 9,4%. Foi a segunda alta consecutiva: em abril, o desemprego tinha sido de 9%.

Cerca de 95% das criações de emprego em maio foram registradas no setor de serviços, que domina a economia americana. O setor secundário abriu 3 mil vagas, enquanto o setor privado contribuiu com 83 mil empregos, os mais baixos níveis desde junho de 2010. Já o serviço público, há meses sob pressão orçamentária, cortou 29 mil empregos pelo sétimo mês consecutivo.

Apesar das más notícias, o relatório também apontou que a população ativa aumentou em 272 mil pessoas, o que pode ser sinal de retomada da motivação de desempregados, que voltaram a procurar trabalho. De acordo com o ministério, os salários semanais médios se elevaram 0,3% em abril.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.