Acessar o conteúdo principal
Câmbio/Bitcoins

Após boato de quebra, maior corretora de bitcoins tenta acalmar mercado

A Mt. Gox, empresa japonesa especializada em câmbio de bitcoin e antiga líder de mercado, "sumiu" da internet.
A Mt. Gox, empresa japonesa especializada em câmbio de bitcoin e antiga líder de mercado, "sumiu" da internet. REUTERS/Edgar Su

O presidente da MtGox, Mark Karpelès, informou site da empresa hoje que continua no Japão e continua a “trabalhar duro” para resolver os problemas da plataforma de moeda digital. Ontem, os utilizadores dos bitcoins ficaram preocupados com denúncias de roubo na corretora.

Publicidade

Na terça-feira (25), os investidores de bitcoins levaram um susto. O site da MtGox foi totalmente apagado assim como suas páginas em redes sociais, o que provocou a maior crise da curta história do bitcoin. Desde então, circulam boatos sobre as razões desse sumiço. Fala-se que a empresa teria roubado 750 mil bitcoins, algo em torno de US$ 435,7 milhões ( R$ 1 bilhão) na cotação de hoje.

Membros da associação "Bitcoin Tokyo" realizam uma reunião nesta quinta-feira em Tóquio para discutir o problema. Eles pedem um encontro com Mark Karpelès . "Queromos trocar informações e falar. Não podemos fazer nada além disso”, disse Jonathan Waller, um dos membros da organização. Hoje o presidente da MtGox garantiu que continua no Japão, onde a empresa é sediada, e que está trabalhando "duro" para resolver os problemas da plataforma.

Regulação

O bitcoin é uma moeda digital criada em 2009 e permite comprar bens e serviços pela Internet. Ela pode ser transferida por um computador ou smartphones sem ter que passar por uma instituição financeira intermediária.

Quando foi criado, um bitcoin valia apenas alguns centavos, mas chegou a ultrapassar mil dólares no final do ano passado. No início do mês, a MtGox, uma das mais antigas plataformas de troca do bitcoin, algo entre um banco e uma bolsa, cessou todas as transações.

Essa moeda não está sujeita à regulamentação financeira clássica, o que explica por que as autoridades não agiram até agora. Mas ontem, o Japão anunciou que seus serviços financeiros e sua polícia estão investigando. Nos Estados Unidos, um senador americano pediu a proibição do bitcoin. Em dezembro passado, a Autoridade Bancária Europeia também alertou sobre os riscos de flutuação da moeda virtual.

Ontem à noite, segundo o índice Winkdex , o bitcoin teve uma valorização de 13% em 24 horas depois de ter perdido mais de US$ 100 no dia anterior.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.