Acessar o conteúdo principal
Brexit/Londres/Tecnologia

Apesar de Brexit, Londres reforça status de centro tecnológico mundial

Apesar da expectativa do Brexit, Londres se firma como pólo tecnológico.
Apesar da expectativa do Brexit, Londres se firma como pólo tecnológico. Reuters

O anúncio do Facebook nesta segunda-feira (21) de abrir uma nova sede em Londres e criar 500 postos de trabalho é uma boa notícia para a capital britânica e reforça seu status de centro tecnológico internacional apesar da perspectiva de Brexit.

Publicidade

Em poucas semanas, Apple, Google e Facebook anunciaram investimentos no Reino Unido e em particular na capital, em muitos casos com significativas criações de emprego. Essas decisões parecem afastar o temor da perda de atração econômica de Londres após o Brexit, a saída da União Europeia que poderia fechar as portas do mercado continental a companhias britânicas.

A nova sede do Facebook está sendo construída em Fitzrovia, um bairro do centro de Londres. A criação de 500 empregos pode aumentar em 50% o quadro de funcionários atual na capital inglesa.

"O Reino Unido é um dos melhores lugares para uma empresa tecnológica e parte importante da história do Facebook. Viemos a Londres em 2007 com um punhado de colaboradores até o final do ano que vem abriremos uma nova sede", disse em um comunicado Nicola Mendelsohn, vice-presidente do Facebook para a Europa.

Para o prefeito da cidade, Sadiq Khan, citado no comunicado, a decisão do Facebook é uma "nova prova de que a força de Londres como centro tecnológico continua crescendo".

Google também vai ter novo prédio e 3 mil novos cargos

Na semana passada a Google anunciou a construção de um grande edifício no centro da cidade que poderá contar com até três mil novos funcionários, um investimento total de 1 bilhão de libras (mais de R$ 4 bilhões).

Esses anúncios confirmam o atrativo de Londres que, segundo um estudo recente do European Digital Forum, é a melhor cidade europeia para as companhias tecnológicas, graças à facilidade de acesso ao financiamento, à cultura empresarial e à presença de mão de obra qualificada. "Apesar dos temores relacionados ao Brexit, a cidade continua atraindo grandes talentos do mundo inteiro", indica o relatório.

O Facebook afirmou que a maioria dos novos postos de trabalho em Londres serão para engenheiros muito qualificados e lembrou que decidiu desenvolver seu novo serviço Workplace, uma rede social para empresas, no Reino Unido. O grupo destaca que em seu quadro de funcionários em Londres estão representadas 65 nacionalidades, entre engenheiros, desenvolvedores e funcionários dos setores comercial e de marketing.

"O vibrante cenário tecnológico londrino causa inveja em toda a Europa e o compromisso continuado do Facebook é mais um sinal de que Londres está aberta ao talento, à inovação e à atividade empresarial de todas as partes do mundo", afirma o prefeito de Londres.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.