Acessar o conteúdo principal
Boiron

Em descrédito na França, maior laboratório de homeopatia do mundo perde vendas e fecha fábricas

Grânulos homeopáticos do laboratório Boiron
Grânulos homeopáticos do laboratório Boiron FRED TANNEAU / AFP

O laboratório de homeopatia francês Boiron, líder mundial do setor, anunciou que fechará 13 dos 31 centros de produção e logística na França, demitindo 646 trabalhadores --cerca de um quarto do seu efetivo no país.

Publicidade

A redução da empresa é resultado de uma crise de confiança enfrentada pela homeopatia no país. Em 2019, o governo francês decidiu reduzir progressivamente o reembolso da homeopatia no sistema de saúde.

No início da semana, o gigante francês anunciou seus resultados do ano passado: suas vendas anuais caíram 8% em 2019 e seu lucro líquido despencou mais de 29%.

A culpa, segundo o comunicado da empresa, seria dos "ataques virulentos, injustificados e repetidos contra a homeopatia na França e na Espanha", diz a empresa francesa.

A Boiron, criada em 1932, está presente em cerca de 50 países, entre eles, Estados Unidos, Brasil e Índia. No entanto, a França representava cerca de 60% de seu mercado. 

Em 2019, esse quadro mudou. Após analisar durante nove meses dados científicos de 24 doenças e sintomas tratados com homeopatia, a Alta Autoridade de Saúde francesa (HAS) divulgou um relatório dizendo que a eficácia dos tratamentos é insuficiente para justificar o reembolso das pílulas pelos cofres públicos.

O país decidiu então adotar um plano de redução progressiva de reembolsos dos medicamentos homeopáticos, para que as pessoas tivessem tempo de buscar outros tratamentos. Essa mudança acertou em cheio as vendas da Boiron, que ainda deve sofrer mais nos próximos anos. A partir de 2021, a França não vai mais pagar por medicamentos de homeopatia.

Campanha espanhola contra as pílulas de açúcar

Em 2018, o governo espanhol também partiu em guerra contra a homeopatia e chegou a pedir para que a União Europeia mudasse sua legislação sobre os medicamentos. Diante da Comissão Europeia, afirmou ter tido casos de mortes de pacientes oncológicos no país que deixaram o tratamento convencional por tratamentos homeopáticos.

Sem resposta a nível europeu, o governo espanhol fez uma campanha nacional sem papas na língua: "Para se cuidar, é preciso de mais do que água e açúcar."

Além disso, o país obrigou os laboratórios homeopáticos a fazerem testes de eficácia iguais aos de medicamentos farmacêuticos. Os medicamentos que não fizeram os testes devem colocar em sua embalagem a mensagem "Não provou sua eficacia terapêutica".

Com informações da AFP

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.