Acessar o conteúdo principal
Acidente/Michael Schumacher

Segurança é reforçada no hospital em que Schumacher está internado

O francês Jean Todt, ex-patrão da Ferrari e hoje presidente da FIA, visitou o ex-piloto Michael Schumacher.
O francês Jean Todt, ex-patrão da Ferrari e hoje presidente da FIA, visitou o ex-piloto Michael Schumacher. REUTERS/Robert Pratta

Na véspera de seu aniversário de 45 anos, o ex-piloto Michael Schumacher continua em coma induzido e seu estado é crítico. Ele está na Unidade de Tratamento Intensivo, no quinto andar do Centro Hospitalar Universitário de Grenoble, acompanhado da família. 

Publicidade

A segurança do hospital foi reforçada: três guarda-costas bloqueiam o acesso ao quarto do ex-piloto, para garantir a privacidade da família e evitar novos episódios como o do dia 31 de dezembro, quando um jornalista fantasiado de padre tentou invadir o quarto. Nesta quarta-feira, o ex-campeão recebeu visitas do presidente da Federação Internacional de Automobilismo, Jean Todt, e de seu ex-companheiro de Ferrari Luca Badoer.

Apesar da confusão que a presença de Schumacher causa no hospital, a família tem se esforçado para manter uma rotina mais ou menos tranquila. No dia 31, inclusive, a mulher dele, Corinna, tentou organizar uma ceia de reveillon para a equipe do serviço de neurocirurgia, mas acabou não dando certo.

As últimas informações sobre o estado de saúde do maior campeão da história da Fórmula 1 foram divulgadas ontem pela manhã por sua assessora de imprensa, Sabine Kehm. Ela afirmou que a situação dele é crítica, mas estável. A equipe médica só concederá novas entrevistas coletivas se o estado do ex-piloto mudar. Nesta sexta-feira, Schumacher completa 45 anos.

Velocidade normal
Na quarta, a assessora de imprensa de Schumacher disse que, no momento do acidente na estação de esqui de Méribel, o ex-piloto esquiava com o filho Mick, de 14 anos, e um grupo de amigos. Eles estavam em uma pista sinalizada quando uma pessoa caiu. Schumacher teria partido em seu socorro e, no retorno, pegou um atalho não sinalizado, onde aconteceu a queda.

As primeiras informações eram de que Schumacher estava sozinho com o filho quando escorregou em uma manobra e bateu com a cabeça. Segundo Kehm, o alemão não estava em alta velocidade no momento da queda. Ele foi vítima de uma sucessão infeliz de acontecimentos, disse a assessora.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.