Acessar o conteúdo principal
Futebol/Liga dos Campeões

França lamenta eliminação do PSG após derrota para o Chelsea

A decepção do lateral-direito, Christophe Jallet, após derrota do PSG para o Chelsea por 2 a 0 nesta terça-feira,(8) em Stamford Bridge, na Inglaterra.
A decepção do lateral-direito, Christophe Jallet, após derrota do PSG para o Chelsea por 2 a 0 nesta terça-feira,(8) em Stamford Bridge, na Inglaterra. REUTERS/Stefan Wermuth

Imprensa, torcedores e clube não escondem a enorme decepção com a eliminação do PSG da Liga dos Campeões da Europa após a derrota de 2 a 0 para o Chelsea, nesta terça-feira (08). O time francês deixou escapar o sonho de passar à semifinal ao levar um gol a três minutos do apito final.

Publicidade

Faltou experiência. Foi uma das conclusões do treinador Laurent Blanc e de muitos jogadores ao final da partida, ainda sob o impacto de uma derrota difícil de digerir. “Para mim, a diferença foi a experiência. O Chelsea tem está mais acostumado a jogar este tipo de confronto”, afirmou Blanc, na entrevista coletiva após a partida disputada no estádio Stamford Bridge, em Londres.

“O jogo acabou beneficiando o Chelsea, mas temos que ficar orgulhosos do nosso percurso na Liga dos Campeões. Vimos que o Chelsea é uma equipe de alto nível e com muita experiência. Tivemos algumas oportunidades de marcar no segundo tempo, mas não aproveitamos”, afirmou o meio-campista Blaise Matuidi.

"Nada excepcional", diz treinador

O Paris Saint-Germain sofreu um gol aos 32 minutos, depois de uma falha de marcação da defesa. Schürrle, que entrou no lugar do belga Eden Hazard, ficou livre na área e só teve o trabalho de completar para o fundo das redes. No lance, o brasileiro Lucas deixou de acompanhar a movimentação do jogador adversário.

Com poucas ações ofensivas no primeiro tempo, o PSG se limitou a defender e teve pouco espaço para a construção de jogadas a partir de seu meio campo, que ficou ofuscado.

Precisando reverter o resultado de 3 a 1 sofrido no jogo de ida, o Chelsea aumentou a pressão no segundo tempo e acuou o time parisiense. O PSG teve, no entanto, duas grandes oportunidades de balançar as redes com o uruguaio Cavani. O atacante desperdiçou as chances ao chutar para fora do gol de Peter Cech.

O treinador português José Mourinho sacou Oscar para entrada de Demba Ba, e a mudança, para dar mais força ofensiva ao time inglês, deu resultado.
Aos 42 do segundo tempo, Ba, senegalês nascido na periferia de Paris, se adiantou à marcação do lateral Maxwell, e completou na saída do goleiro Sirigu, que nada pôde fazer.

No placar agregado, os dois times empataram em 3 a 3, mas o gol marcado fora pelo Chelsea na semana passada em Paris, garantiu a passagem do time inglês à semifinal.
Em entrevista, Mourinho afirmou que a passagem do Chelsea à semifinal da competição não é "nada excepcional", em referência à constante participação do time inglês nas rodadas finais da competição.

Outra eliminação por saldo de gols fora de casa

É a segunda vez que o PSG cai nas quartas de final da Liga dos Campeões e pelo mesmo motivo, diferença de gols sofridos em casa. Na temporada passada, o time foi eliminado pelo Barcelona, após dois empates, 2 a 2, em Paris, e 1 a 1, no estádio do Barça. A imprensa esportiva francesa diz que Thiago Silva, o capitão do PSG, foi um dos poucos a mostrar o alto nível exigido pela competição europeia.

“Sem ele, a derrota teria sido ainda maior”, sugere o diário esportivo L’Équipe, ao avaliar a coragem do zagueiro nos duelos com o ataque do time inglês. Em compensação, o atacante Lucas foi criticado por sua imaturidade, já que não fez diferença alguma em campo. Ele foi escolhido para substituir o sueco Zlatan Ibrahimovic, ausente devido a uma contusão.

“Lucas ainda não é suficientemente maduro”, afirma o Aujourd’hui em France, no título de uma reportagem para avaliar a atuação do brasileiro. Ele apenas cumpriu parcialmente sua missão que era dar velocidade ao ataque e fazer um trabalho defensivo constante.

Substituído por Marquinhos no final da partida, Lucas resumiu o sentimento dos jogadores após a derrota: “Estamos todos muito desapontados, mas temos que sair de cabeça erguida porque enfrentamos uma grande equipe. Foram dois lances de azar, perdemos o jogo e agora temos que levantar a cabeça porque temos tudo para conquistar o bicampeonato francês”, afirmou.

Real Madri no sufoco

Sem Cristiano Ronaldo, machucado, o Real Madri entrou em campo confiante por causa da vitória por 3 a 0 no primeiro jogo contra o Borússia Dortmund. E na Alemanha, levou um susto: o "paredão amarelo", como o Borússia é conhecido, jogou com muita garra, e apoiado por sua fanática torcida venceu por 2 a 0, com dois gols de Marco Reus. O time merengue se classificou no sufoco, graças ao saldo de gols.

Duas últimas vagas

O Bayern de Munique recebe nesta quarta-feira (9) o inglês Manchester United no Allianz Arena. No primeiro jogo, na Inglaterra, o placar foi de 1 a 1. O duelo é uma reedição da final da Liga dos Campeões passada, vencida pelo time alemão.
A outra vaga da seminfinal sai do clássico espanhol: o Barcelona vai a Madri enfrentar o Atlético. Houve empate de 1 a 1 no primeiro jogo e o Barça, de Neymar, tem que marcar fora de casa para se classificar.
 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.