Acessar o conteúdo principal
Futebol/França

PSG termina ano em 3° no francês, atrás do Olympique de Marselha e do Lyon

Lucas, do PSG, mostra velocidade em ataque contra o time de Montpellier, no sábado.
Lucas, do PSG, mostra velocidade em ataque contra o time de Montpellier, no sábado. PSG/Divulgação

Os resultados da rodada do campeonato francês no final de semana, a última antes das férias de final de ano, deixaram o Paris Saint-Germain em uma situação incômoda e preocupante. Além de perder a vice-liderança para o Lyon, o time parisiense viu seu arquirrival disparar isolado na ponta da tabela.

Publicidade

Após o empate sem gols no sábado (20) contra o Montpellier no Parque dos Príncipes, os jogadores do PSG saíram apressados e cabisbaixos do estádio. Ao deixar escapar dois pontos dentro de casa, o time parisiense tinha consciência de que não terminaria na ponta da tabela como desejado.

O tropeço custou ainda mais caro depois das vitórias do Olympique de Marselha por 2 a 1 sobre o Lille e a goleada de 5 a 0 do Lyon sobre o Bordeaux, no domingo. Os resultados deixaram o Marselha com 41 pontos, dois à frente do Lyon e três do PSG.

PSG tem jogadores de alto nível, mas não vence

Apesar de apenas uma derrota em 19 jogos do campeonato, o PSG tem sido alvo de críticas por não apresentar o nível de futebol à altura de seu elenco formado por grandes estrelas como o sueco Ibrahimovic, os zagueiros Thiago Silva e David Luiz e o meio-campista Blaise Matuidi. O time empatou oito vezes, sendo três em casa.

Capitão do time, o zagueiro Thiago Silva negou uma tensão entre jogadores e o treinador Laurent Blanc, como sugerido pela imprensa esportiva do país, e atribui a fase ruim da equipe apenas à falta de eficiência no gramado.

"Saio nervoso com o resultado. Quando você não consegue fazer as coisas como foi programado, você sai com raiva. Jogamos bem a partida, mas não conseguimos fazer o gol que nos daria a vitória", lamentou o brasileiro, que chamou para ele toda a responsabilidade pelo empate contra o Montpellier.

"Como capitão e responsável, chamo (a reponsabilidade) para mim. Temos que melhorar, isso é notável. Nesta primeira parte do campeonato não fizemos aquilo que foi programado e agora temos que recuperar os pontos em 2015", avaliou.

Lucas em boa fase, mas decepcionado

Apontado como um dos destaques do PSG nos últimos jogos pelas ótimas jogadas ofensivas, o brasileiro Lucas atravessa um bom momento, mas sai de férias decepcionado com o empate no último jogo do ano.

"Com a equipe que temos, nossa obrigação é de ganhar todos os jogos em casa. Para quem quer ser campeão, não pode ficar no empate em jogos como este", afirmou. "Todo mundo sabe que nos falta alguma coisa nesta temporada. Não estamos na nossa melhor forma fisicamente, tecnicamente, coletivamente e até individualmente”, avalia.

"Essas férias vão nos fazer bem, para descansar a cabeça e voltar com outro espírito, com outra mentalidade. Ainda temos tempo para recuperar", relativizou.

Apesar de sair triste de campo, Lucas confirmou que está vivendo seu melhor momento com a camiseta do Paris Saint-Germain desde que chegou ao clube, em janeiro de 2013. "Sem dúvida, individualmente é o meu melhor momento aqui. Mas eu preferiria que a equipe inteira estivesse em seu melhor momento. O carinho da torcida só me deixa mais à vontade. Estou cada vez me sentindo melhor e adaptado ao clube", confessou em entrevista à Rádio França Internacional.

"Eu estou feliz com meu momento, mas eu quero vencer e não adianta eu estar bem e a equipe não vencer. Mas temos tempo e qualidade para recuperar nosso melhor nível para buscar o título".

O ex-são-paulino sabe também que o desempenho do PSG não apenas no campeonato francês mas na Liga dos Campeões pode ajudá-lo à voltar à seleção brasileira, um de seus grandes projetos para 2015.

"Quero continuar me firmando cada vez mais no PSG e no cenário do futebol. Quero também voltar para a seleção", afirma. Disputar a Copa América no Chile está entre os planos do atacante de 22 anos. "Confiante bastante. Acho que estou no caminho certo, mas para isso preciso me firmar aqui no PSG e ganhar títulos", afirma.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.