Acessar o conteúdo principal
Futebol/ONU

Ibrahimovic faz tatuagens no corpo para apoiar campanha da ONU contra fome

Ibrahimovic, durante a comemoração do seu gol contra o Caen.
Ibrahimovic, durante a comemoração do seu gol contra o Caen. Foto: Reuters

O atacante do Paris Saint-Germain, Zlatan Ibrahimovic, anunciou neste domingo (15) seu apoio ao Programa Mundial de Alimentação das Nações Unidas (PAM). Para marcar seu engajamento, ele tatuou no corpo diversos nomes de pessoas que passam fome em todo o mundo.

Publicidade

Ibrahimovic chamou atenção dos torcedores do estádio Parque dos Príncipes no sábado (14), ao tirar sua camisa e exibir o torso nu repleto de tatuagens durante a celebração de seu gol contra o Caen, em jogo válido pelo campeonato francês.

Durante vários segundos, ele exibiu as tatuagens efêmeras com vários nomes, entre eles, Carmen, Mariko, Antoine, Sawsan, Chheuy, Lida, Siatta ou Raham. No total, foram 50 nomes de pessoas que passam fome ao redor do planeta.

"Tudo o que aconteceu ontem não foi previsto, mas acabou acontecendo com o gol logo aos dois minutos. Foi um bônus", disse o atacante ao comentar a comemoração de seu gol marcado aos dois minutos do primeiro tempo.

A declaração do sueco foi feita neste domingo no mesmo estádio, onde participou de uma entrevista coletiva ao lado de Marina Catena, responsável pelo Programa das Nações Unidas para a França e o Principado de Mônaco.

Sueco "estreia" em causa humanitária

O projeto, batizado de "805 milhões de nomes", foi apresentado em um filme em preto e branco no qual Ibrahimovic deseja que seus fãs "apoiem os que sofrem com a fome e que são os verdadeiros campeões". "Toda vez que vocês ouvirem o meu nome, vocês pensarão nos nomes deles", disse no filme.

Ibrahimovic admitiu que vários rumores circularam nos últimos dias sobre suas tatuagens. "Para mim, não há desastre maior do que a fome no mundo. Não falamos de uma ou duas pessoas, mas de 805 milhões. Se eu pudesse colocar todos os nomes, teria feito. Mas não sou tão grande assim. Grande, mas nem tanto", brincou o jogador.

"Sou alvo de muita atenção, escrevem sobre mim todos os dias. Pelo que represento, gostaria que as pessoas vissem esses nomes e essas histórias", afirmou. "É a primeira vez que faço alguma coisa publicamente por uma causa humanitária. Não quero que digam que sou um bom moço ou que faço isso para parecer simpático. Tenho uma imagem de ‘bad boy’ e confirmo (risos). Mas, agora, quero ajudá-los", completou, em referência às pessoas famintas contempladas pelo programa da ONU.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.