Acessar o conteúdo principal
Fifa/Corrupção

Fifa decide banir ex-dirigente que delatou escândalo de corrupção

Chuck Blazer integrava o comitê executivo da Fifa quando começou a cooperar com o FBI, em 2001.
Chuck Blazer integrava o comitê executivo da Fifa quando começou a cooperar com o FBI, em 2001. AFP PHOTO / PETER KOHALMI

O americano Chuck Blazer, ex-secretário-geral da Concacaf, a Confederação da América do Norte, Central e Caribe, e ex-membro do Comitê Executivo da Fifa, foi banido da organização nesta quinta-feira (9). De acordo com a Fifa, Blazer cometeu uma série de atos "inapropriados", entre eles, o recebimento de comissões ilegais relacionadas ao escândalo de corrupção dentro da Federação.

Publicidade

A decisão da Fifa é vitalícia. Chuck Blazer não poderá mais exercer atividades relacionadas ao futebol profissional pelo resto da vida. Ele "cometeu muitos atos de má conduta de forma contínua e repetida durante seu mandato como dirigente em vários postos de alto nível na Fifa e na Concacaf ", afirma o comunicado da entidade.

Blazer, ex-aliado do presidente da Fifa, Joseph Blatter, "desempenhou um papel chave" ao "propor, aceitar ou efetuar pagamentos ilegais, subornos ou comissões", considerou a comissão de ética da Fifa, presidida pelo alemão Hans-Joachim Eckert.

Informante

O americano foi secretário-geral da Concacaf entre 1990 e 2011 e integrante do comitê executivo da Fifa entre 1997 e abril de 2013. Blazer, que é milionário e sofre de câncer, foi um informante chave no escândalo de corrupção da entidade. Ele começou a cooperar com as autoridades americanas em dezembro de 2011, quando ainda era integrante do comitê executivo da entidade máxima do futebol mundial, e colaborou durante quase 16 meses com o FBI.

Foi ele que fez as revelações que levaram a Fifa a enfrentar a crise mais grave de sua história, provocando o anúncio da renúncia de Blatter. Em 27 de maio, as autoridades judiciais americanas indiciaram 14 dirigentes da Fifa e executivos de empresas vinculadas à entidade, todos acusados de corrupção. No mesmo dia, a polícia da Suíça prendeu em Zurique sete dirigentes da Fifa, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin.

Além de Blazer, outras três pessoas se declararam culpadas, incluindo dois filhos de Jack Warner, ex-vice-presidente da Concacaf e membro do comitê executivo da Fifa.

(com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.