Acessar o conteúdo principal
Fórmula E

Grande Prêmio de carros elétricos em Paris contraria ecologistas

Grande Prêmio de Long Beach foi a etapa mais recente da Fórmula E.
Grande Prêmio de Long Beach foi a etapa mais recente da Fórmula E. FIA/Divulgação

Quase sem fazer barulho, 18 carros de corrida que atingem mais de 200km/h vão percorrer as ruas de Paris neste sábado (23). O Grande Prêmio da Fórmula E – campeonato de veículos 100% elétricos – chega pela primeira vez à capital francesa, despertando a curiosidade do público, que esgotou os ingressos, mas também a fúria dos ecologistas.

Publicidade

O cenário da prova será de cinema: 43 voltas de 2 quilômetros nos arredores do Hôtel des Invalides, uma das construções icônicas da cidade, edificada sob ordens do Rei Louis XIV em 1670, às margens do Rio Sena. Os 15 mil ingressos colocados à venda já se esgotaram, mas o público francês poderá assistir à transmissão ao vivo pela televisão, a partir das 15h30 do horário local (10h30 em Brasília).

Apesar do sucesso de público, a proposta de receber uma competição deste tipo no coração de Paris não agradou a todo mundo. David Belliard, líder dos vereadores ecologistas, diz que seu grupo se opõe ao evento porque ele vai de encontro às políticas da prefeitura para reduzir a presença de carros na cidade. “Isso está muito longe de uma mensagem ecologista, de uma cidade que desejamos: mais tranquila, menos densa, menos rápida e onde se respira”, disse Belliard à RFI.

O líder ecologista não considera a corrida uma divulgação das energias alternativas. “Fazer veículos correr a 200 km/h no meio de Paris não é promover a energia alternativa, é promover a velocidade na cidade”. Apesar da reclamação dos Verdes, as críticas não comoveram a prefeita socialista Anne Hidalgo. Ela expandiu as políticas anticarro na cidade, mas é uma das grandes entusiastas da Fórmula E.

Sobrinho de Ayrton Senna

Os veículos, do tipo monoposto clássico, para uma única pessoa, e com curvas aerodinâmicas, lembram muito os da Fórmula 1. O objetivo da competição é justamente demonstrar que um veículo aerodinâmico, como os das grandes competições, podem ser elétricos.

O atual líder da temporada de Fórmula E é o brasileiro Lucas di Grassi, de 31 anos, que soma 121 pontos. O paulistano radicado em Mônaco foi o primeiro campão da Fórmula E, em 2014, e terminou a temporada de 2015 em terceiro lugar, com sete pódios. Há mais brasileiros na disputa: Bruno Senna, sobrinho de Ayrton Senna, que está em 11º, e Nelsinho Piquet, filho de Nelson Piquet, em 15º.

Filho de Alain Prost

“Claro que é preciso ter em mente que o carro elétrico tem 100 anos de atraso em relação aos convencionais”, disse Eric Barbaroux, um dos fundadores da Fórmula E, ao jornal 20 Minutes. “Atualmente, não temos nem a autonomia, nem a velocidade de um Fórmula 1”, complementou. Para ele, o objetivo da Fórmula E não é um dia substituir as competições tradicionais, mas ser uma “embaixadora” do carro elétrico.

Um dos destaques na pista neste sábado será uma equipe 100% francesa, a eDams-Renault, que une dois grandes nomes do automobilismo: Jean-Paul Driot, chefe da tradicional escuderia francesa Dams, e a família Prost, do multicampeão de Fórmula 1 Alain Prost. Seu filho, Nicolas Prost, é um dos pilotos da eDams-Renault.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.