Acessar o conteúdo principal
Armação?

Valcke estaria por trás de acusações contra Platini, afirma delator

Ex-secretário-geral da FIFA Jerome Valcke seria o responsável por incriminar Platini, segundo delator.
Ex-secretário-geral da FIFA Jerome Valcke seria o responsável por incriminar Platini, segundo delator. REUTERS/Maxim Zmeyev/File Photo

Jerôme Valcke, ex-secretário-geral da Fifa, teria ameaçado Michel Platini em setembro do ano passado com represálias, alguns dias antes da divulgação do pagamento no valor de € 1,8 milhão que resultou na suspensão do ex-craque francês.A acusação foi feita nesta sexta-feira (8) em Paris pelo delator responsável pela queda de Valcke.

Publicidade

Benny Alon, ex-jogador israelense e consultor da empresa de marketing esportivo JB Sports, foi responsável por revelar que Valcke tinha envolvimento num esquema de revenda de ingressos no mercado negro. Nesta sexta-feira, Alon convocou a imprensa internacional, reunida em Paris para cobrir a Eurocopa, e contou sua versão dos fatos.

Em setembro do ano passado, dias antes da coletiva de imprensa em que o israelense revelou as acusações contra o ex-secretário-geral da Fifa, "Jerôme Valcke chamou Kevin Lamour (braço direito de Michel Platini, na época presidente da Uefa) para pedir que a coletiva de imprensa fosse cancelada. Michel Platini não lhe deu bola", explicou Alon, nesta sexta-feira.

"Uma semana depois, apareceu esse pagamento de € 1,8 milhão pela Fifa a Michel Platini", explicou, ligando de maneira implícita ambas as situações. Valcke, 55 anos, havia sido afastado de suas funções em 17 de setembro de 2015 e demitido em 14 de janeiro. Condenado em primeira instância pela justiça interna da Fifa em fevereiro a 12 anos de suspensão, Valcke viu em seguida sua pena reduzia a 10 anos.

Os problemas de Valcke, porém, não acabaram. Em 3 de junho, a Fifa anunciou que seu ex-presidente Joseph Blatter e dois de seus mais próximos colaboradores, Valcke e Markus Kattner, repartiram US$ 80 milhões "em um esforço coordenado de enriquecimento pessoal" através de contratos e remunerações ao longo dos últimos cinco anos.

Platini

Michel Platini, suspenso pela Fifa por quatro anos, disse hoje que não irá à final da Eurocopa. A justiça interna da Fifa suspendeu Platini de toda atividade relacionada ao futebol pelo polêmico recebimento de € 1,8 milhão em 2011, sem contrato escrito, por um suposto trabalho de assessoria a Joseph Blatter, não época presidente da Fifa.

Suspenso por oito anos em primeira instância, Platini viu a punição reduzida a quatro anos pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS). Desde o anuncio do veredito do TAS, em 9 de maio, Platini anunciou sua demissão da presidência da Uefa para "continuar o combate nos tribunais suíços".

Platini segue trabalhando em sua defesa e espera anunciar sua renuncia do cargo pessoalmente às federações membros da Uefa em 14 de setembro, dia em que a entidade europeia elegerá seu novo presidente.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.