Acessar o conteúdo principal
Futebol/Copa da França

PSG vence Angers na final e bate recorde de títulos da Copa da França

O brasileiro Maxwell ergue ao lado dos jogadores do PSG o troféu de Campeão da Copa da França 2016/2017.
O brasileiro Maxwell ergue ao lado dos jogadores do PSG o troféu de Campeão da Copa da França 2016/2017. Foto: Reuters / Pascal Rossignol

Muito sofrida, a vitória do Paris Saint-Germain neste sábado (27) de 1 a 0 sobre o Angers na final da Copa da França teve um duplo motivo de celebração. O time parisiense conquista e edição comemorativa dos 100 anos da competição e, ao mesmo tempo, bate o recorde do número de títulos do mais antigo torneio nacional francês:11 no total. O brasileiro Maxwell, que deixa o clube, ergueu o troféu. 

Publicidade

O placar apertado e só garantido nos instantes finais da partida, mostrou a dificuldade que o time parisiense encontrou para manter a defesa de seu título e terminar com mais um troféu a temporada turbulenta.

Um gol contra de Cissokho, no minuto final da prorrogação, depois de um cruzamento de escanteio de Di María pôs fim a um jogo que ganhou contornos dramáticos.

Depois de muitas oportunidades desperdiçadas na etapa inicial, o time parisiense sofreu com o bloqueio defensivo adversário e só garantiu o cobiçado título, o terceiro consecutivo, com um lance de bola parada.

Para o Paris Saint-Germain, a vitória era vista como uma obrigação para virar a página de uma temporada marcada pela perda do título de campeão francês para o Monaco e pela humilhante desclassificação da Liga dos Campeões da Europa para o Barcelona.

Dificuldade inesperada

Em um duelo no qual era considerado o franco favorito, o PSG não esperava encontrar tantas dificuldades em superar a equipe do oeste da França, que buscava um título inédito de campeão em sua quase centenária história.

O Angers esperou 60 anos para voltar a disputar uma final da Copa da França e ficou 15 anos na segunda divisão, antes de voltar à elite do futebol francês, em 2015.

Empurrados pela entusiasmada torcida de preto e branco, que ocupou boa parte do estádio, os jogadores do Angers saíram de cabeça erguida depois de um duelo intenso com o time da capital.

O time treinado por Stéphane Moulin mostrou muita disciplina e determinação, e entrou em campo no Stade de France para tentar estragar a festa prometida e que parecia fácil para o PSG.

Antes do apito final, um minuto de silêncio foi observado em respeito às vítimas e solidariedade com a cidade de Manchester, onde um ataque terrorista deixou 22 mortos.

Demonstrando toda a sua superioridade técnica desde o início da partida, o Paris Saint-Germain teve várias oportunidades de abrir o placar com diferentes jogadas de ataque. Seja com avanços do lateral-direito Serge Aurier (8’), ou com o meio campista Matuidi (11’) e  também Cavani (12’, 15’ e 44’). O goleiro Letellier também garantiu o placar com boas defesas

O Angers apostava principalmente em lances de bola parada, com cruzamentos para área, mas sem assustar o goleiro Aréola. O principal lance veio aos 26’ com um chute na trave. O jogo ganhou em intensidade e emoção, mas o placar ficou em branco.

Na etapa final, o Paris Saint-Germain não teve outra alternativa senão pressionar o adversário, que armou um grande e eficiente bloco defensivo. As oportunidades foram mais raras e o time parisiense pecava sobretudo nas finalizações das jogadas, já perto da área do Angers.

Na oportunidade mais clara de gol, aos 39’, Cavani foi lançado em profundidade, e na corrida ombro a ombro com o zagueiro, foi desequilibrado e acabou chutando para fora, cara a cara com o goleiro.

A partida já se encaminhava para a prorrogação quando no último lance, de escanteio, veio o gol da vitória sofrida.

O uruguaio Cavani comemora o gol do PSG.
O uruguaio Cavani comemora o gol do PSG. Foto: Reuters / Pascal Rossignol

Maxwell ergue o troféu

Depois de muita comemoração em campo e com a torcida nas arquibancadas, os jogadores subiram para receber o troféu erguido excepcionalmente não pelo capitão Thiago Silva, mas pelo lateral-esquerdo Maxwell, que jogou sua última partida e deixa o clube depois de cinco temporadas.

Com a conquista deste sábado o PSG ergue sua 11ª Copa da França e supera o recorde que dividia com o arquirrival Olympique de Marselha. Este foi o terceiro título do clube parisiense na temporada depois do Troféu dos Campeões e da Copa da Liga.

Uma grande festa no Stade de France, com muitos fogos de artifício para celebrar os 100 anos da Copa da França, competição que reúne times amadores e profissionais do país, encerrou a edição histórica do evento.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.