Acessar o conteúdo principal
Olimpíadas

Praia do Taiti que é o 'terror' dos surfistas é pré-selecionada para Jogos de Paris 2024

O surfista americano Kelly Slater fotografado em Teahupoo, no Taiti, em maio de 2008.
O surfista americano Kelly Slater fotografado em Teahupoo, no Taiti, em maio de 2008. REUTERS/Joseba Etxaburu (FRENCH POLYNESIA)/File Photo

Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Paris 2024 aprovaram nesta quinta-feira (12) a escolha de Teahupoo (pronuncia-se tchiopo), no sul da ilha de Taiti (Polinésia Francesa), para sediar as provas de surfe durante as olimpíadas. A decisão ainda deve ser ratificada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) em janeiro.

Publicidade

O território ultramarino francês, localizado no Oceano Pacífico a 15.000 quilômetros de distância de Paris, é conhecido por suas belezas naturais e ondas gigantescas, principalmente no sul da ilha de Taiti. Outra particularidade é a diferença de 12 horas de fuso horário em relação à capital. Mas, por enquanto, esses critérios prevaleceram sobre outras três localidades que disputam as provas de surfe no litoral atlântico francês – Biarritz (sudoeste), Capbreton-Hossegor (sudoeste) e La Torche (oeste).

Os preteridos dizem que os organizadores deram prioridade "ao espetáculo", uma vez que Taiti fica perto da Grande Barreira de Coral. No sul da ilha, "a onda de Teahupoo" é considerada uma das "mais perigosas e poderosas do mundo", podendo ultrapassar facilmente 5 metros de altura. Apesar do alto risco que oferece aos atletas, desde 1997 Teahupoo faz parte do circuito profissional masculino de surfe e, hoje, é a sétima etapa do circuito mundial.

Habituado ao paredão, o surfista taitiano Michel Bourez, considerado um dos melhores do mundo, afirma que o local não é para iniciantes. "É preciso ter muita experiência", diz o francês. Ele já se feriu várias vezes ao enfrentar essa onda, tendo quebrado uma mão, uma vértebra e também batido a cabeça contra o fundo de coral. Em 2000, o taitiano Brice Taerea morreu durante um treinamento, depois de bater com a cabeça contra o recife de coral, pouco antes do início da competição oficial.

"Melhor lugar em agosto"

"É o melhor local da França nesta época do ano", comemorou o presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos (Cojo), Tony Estanguet, depois do encontro que definiu, nesta quinta-feira, a indicação do Taiti. Estanguet acrescentou que, caso a escolha seja confirmada pelo COI, as provas de surfe feminino e masculino vão acontecer em "condições excepcionais", entre 26 de julho e 11 de agosto de 2024.

A possibilidade de associar um território ultramarino aos Jogos Olímpicos também pesou na escolha dos organizadores e do Estado, apesar de a expectativa de público ser pequena, cerca de 1.500 pessoas. "É uma honra e um orgulho para o nosso território, enquanto 'a nação francesa do surfe', a terra de origem da disciplina e a única candidatura ultramarina", declarou em comunicado a presidência da Polinésia Francesa.

O COI irá se reunir no dia 8 de janeiro de 2020, em Lausanne, na Suíça, para validar ou não a escolha dos comitê organizador de Paris-2024 (Cojo). Até lá, Biarritz e as outras praias da costa atlântica da França guardam uma ponta de esperança.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.