Acessar o conteúdo principal
Olimpíadas/esporte

Tóquio 2020: camas da Vila Olímpica só aguentam duas pessoas de cada vez, diz empresa

Apresentação de camas ecológicas, com estrutura de papelão e colchão 100% poliéster, para os residentes da Vila Olímpica para os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, em 24 de Setembro de 2019
Apresentação de camas ecológicas, com estrutura de papelão e colchão 100% poliéster, para os residentes da Vila Olímpica para os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, em 24 de Setembro de 2019 STR / JIJI PRESS / AFP

As camas ecológicas de papelão criadas pela companhia Airweave só podem ser usadas no máximo por duas pessoas ao mesmo tempo, segundo o fabricante, em alusão à atividade sexual dos atletas.

Publicidade

A companhia Airweave afirma, entretanto, que as camas podem suportar até 200 quilos. “Fizemos várias experiências, jogando peso sobre elas. Se essa orientação das duas pessoas for respeitada, podem suportar a carga”, explicou um porta-voz da empresa. As camas de papelão foram concebidas para diminuir o impacto ecológico e serão usadas pela primeira vez no evento, que acontece de 24 de julho a 9 de agosto em Tóquio, no Japão.

As Vilas Olímpicas são conhecidas por ser um local de muitos encontros. Nos Jogos de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul, no ano passado, o aplicativo de encontros Tinder registrou um aumento de 350% nos acessos. No Rio, em 2016, foram distribuídos 450 mil preservativos, o equivalente a 42 por atleta. Em uma mensagem publicada no Twitter, o jogador de basquete australiano, Andrew Bogut, ironizou o comunicado da empresa. “Ótima iniciativa, até os atletas terminarem as competições e a organização começar a distribuir as milhares de camisinhas”, disse.

COI proíbe manifestações

Nesta sexta-feira (10), o Comitê Olímpico Internacional (COI) lembrou que os atletas estão proibidos de se manifestar politicamente, como determinam as regras olímpicas. “Os Jogos Olímpicos sempre foram um evento feito para valorizar os atletas e seu desempenho, não tendo vocação para ser transformado em uma plataforma de reivindicação política”, declarou o presidente do Comitê, Thomas Bach, na abertura da 135ª sessão do COI em Lausanne, na Suíça.

Os atletas não podem, desta forma, manifestar-se politicamente nos locais de competição, na Vila Olímpica, durante as cerimônias de abertura ou encerramento ou no pódio, reiterou. O Comitê autoriza, entretanto, os atletas a darem sua opinião durante coletivas e entrevistas, nas chamadas zonas mistas e áreas reservadas à imprensa.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.