Acessar o conteúdo principal
Esportes

“Pia resgatou a confiança em nosso futebol”, diz Formiga sobre treinadora da seleção feminina

Áudio 08:42
A jogadora do PSG e da seleção brasileira Formiga, na saída do estádio Jean Bouin, em Paris.
A jogadora do PSG e da seleção brasileira Formiga, na saída do estádio Jean Bouin, em Paris. Forto: RFI Brasil

Durante sua rápida passagem por Paris, há duas semanas, onde acompanhou treinos da equipe feminina do Paris Saint-Germain, a técnica da seleção brasileira Pia Sundhage revelou seus planos para as duas jogadoras brasileiras do clube francês, Formiga e Luana.

Publicidade

Titular absoluta, tanto do PSG quanto da seleção, a meio campista Formiga é só elogios para a sueca Pia Sundhage que, em sete jogos, venceu cinco no comando da equipe. Os resultados e o novo esquema de jogo elevaram o moral da equipe, segundo a jogadora.

“Ela mudou bastante, a gente vinha com um pouco de desconfiança do nosso trabalho e, com certeza, o modo com o qual ela trabalha acabou resgatando a confiança de acreditar no nosso futebol. Ela acredita no futebol brasileiro, por isso, aceitou o cargo”, destaca Formiga.

“Ela nos deixou muito à vontade para jogar nosso futebol, implantando um novo sistema tático. As meninas que jogam na Europa estão acostumadas com esse estilo de jogo, e teremos que fazer por onde para as coisas darem certo. Estou feliz com a chegada dela e por tudo o que ela tem feito em tão pouco tempo”, acrescentou.

Pia Sundhage conversou com as duas atletas da seleção já com vistas à convocação para a participação da equipe no 1° Torneio da França, uma nova competição Internacional que reunirá além da seleção anfitriã, Brasil, Canadá e Países Baixos, atual vice-campeão mundial.

O torneio vai permitir um melhor entrosamento da seleção que tem como foco principal este ano a participação nas Olimpíadas de Tóquio. Formiga disse que Pia mostrou satisfação com a chegada de Luana ao clube francês, onde assinou no início de janeiro um contrato de seis meses.  

“Ela está muito contente por a Luana estar aqui. Ela tem ideia de que nós podemos jogar juntas nas Olimpíadas e isso traz um pouco de tranquilidade para ela, por um entrosamento maior entre mim e a Luana, para ajudar no meio campo”.

Formiga tem um papel importante na adaptação da compatriota ao clube. Luana estreou no time parisiense ao entrar no segundo tempo na histórica goleada de 11 a 0 do PSG contra o Olympique de Marselha pelo campeonato francês. Uma estreia com o pé direito e rápida. “A Luana é tranquila e já jogou também fora do Brasil inúmeras vezes, então a adaptação dela tem sido bem rápida e estou feliz de ter uma companheira. Como jogamos na seleção, isso ajuda bastante”, afirma.

Apoio dos treinadores para manter forma física

Às vésperas de completar 42 anos, no dia 3 de março, Formiga continua brilhando nos gramados com sua técnica e um vigor físico impressionantes. Para manter o alto rendimento, ela revela que tem estabelecido estratégias para dosar sua participação em jogos do PSG e da seleção brasileira.

“Tem que administrar bem, não só aqui no clube mas também com a seleção brasileira. Tem essa dupla preocupação. Sempre converso com o treinador (do PSG) para descansar entre uma hora e outra. Sempre converso também com a nova treinadora (da seleção) no sentido de me poupar em alguns jogos para eu voltar bem para o PSG”, explicou.

A atacante brasileira Formiga, recordista em Copas do Mundo e Olimpíadas, é a capitã do PSG e renovou contrato com o time francês até 2020.
A atacante brasileira Formiga, recordista em Copas do Mundo e Olimpíadas, é a capitã do PSG e renovou contrato com o time francês até 2020. Divulgação

Em sua terceira temporada no clube francês, Formiga persegue ainda os objetivos de levantar um troféu com a equipe, onde se sente bem acolhida pelos torcedores e pela comissão técnica.

No jogo em que o PSG goleou o Olympique de Marselha, ela foi decisiva no papel que desempenha com desenvoltura em campo: o de auxiliar na defesa e impulsionar o setor ofensivo a partir do meio de campo.

O treinador da equipe feminina Olivier Echouafni tem demonstrado muita confiança na experiente jogadora, uma das titulares incontestáveis do elenco.

“Fico feliz por ter essa confiança no meu futebol, ainda que tenha 41 anos. Espero estar sempre correspondendo à altura a confiança que ele tem em mim e no meu futebol”, comentou.

No final da partida, Formiga e as outras jogadoras celebraram o resultado histórico cantando e vibrando com os torcedores que ocuparam apenas parcialmente as arquibancadas do estádio Jean Bouin, em Paris.

“É importante ter o apoio da torcida e um dia quero ver esse estádio lotado para presenciar o futebol feminino”, diz, esperançosa.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.