Acessar o conteúdo principal
Mundomix

Tráfico sexual é cada vez maior nos países europeus

Áudio 10:28
O pai de Oxana, Nikolai, está apelando ao Primeiro Ministro da Rússia, Putin, para acabar com o comércio que matou sua filha
O pai de Oxana, Nikolai, está apelando ao Primeiro Ministro da Rússia, Putin, para acabar com o comércio que matou sua filha avaaz.org

O tráfico de meninas, principalmente vindas do leste da Europa, tornou-se um dos negócios mais lucrativos do crime organizado e a França também é palco desta dramática realidade. A ONG Avaaz está promovendo uma campanha para tentar bloquear a ação do crime organizado.Na semana passada eu abri meu email e me deparei com a foto de uma menina linda, sorrindo, mas o texto que acompanhava a imagem era muito triste. Ela tinho sido vítima de traficantes sexuais e para fugir dos homens que a forçavam a se prostituir, acabou saltando por uma janela. Eu fiquei bem triste e decidi comentar esse problema no meu programa, que geralmente fala de coisas bonitas e da arte de viver. O tráfico de meninas, principalmente vindas do leste da Europa tornou-se um dos negócios mais lucrativos do crime organizado e a França também é palco desta dramática realidade. Entre os países europeus, a Rússia tem um papel-chave, como provedor e rota de passagem do leste para o oeste. Aqui na França, por exemplo, vemos cada vez mais meninas muito novas, loirinhas, e a maioria delas vem do leste da Europa, trazida por essas redes. Uma menina pode custar entre 15 mil e 30 mil euros, entre 35 e 70 mil reais.Para denunciar esse horror, a ong Avaaz, que tem mais de 5,6 milhões de membros e organiza campanhas globais sobre assuntos internacionais, lançou o alerta. Graziela Tanaka, coordenadora de campanhas, conversou comigo diretamente de Nova York, onde fica a sede da ONG.Você pode assinar o abaixo-assinado e quem sabe, um dia, não receberemos mais um email falando do fim trágico de uma outra jovem obrigada a se prostituir. Au revoir....O site da ong Avvaz é www.avaaz.org

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.