Acessar o conteúdo principal
Itália/ naufrágio

Passageiros de navio podem receber 14 mil euros de indenização

Equipes de resgate se preparam para realizar bucas por desaparecidos submarinas no navio Costa Concordia.
Equipes de resgate se preparam para realizar bucas por desaparecidos submarinas no navio Costa Concordia. REUTERS/Darrin Zammit Lupi

Cada passageiro do navio naufragado Costa Concordia poderá receber uma indenização de 11 mil euros (25 mil reais) pelo acidente, além das despesas ocasionadas pela tragédia. O valor foi acertado nesta sexta-feira em um acordo firmado entre uma associação de passageiros e a Costa Cruzeiros, proprietária da embarcação.

Publicidade

“Este acordo atinge cerca de 3 mil passageiros de 60 países, entre eles cerca de 900 italianos. Esperamos que cerca de 85% deles aceitarão esta proposta”, diz um comunicado da Adoc, uma das associações de consumidores italianos, que faz parte do comitê de passageiros.

O valor de 11 mil euros será pago a todos os turistas que estavam na embarcação, inclusive as crianças, que não pagavam entrada no Costa Concordia. Os passageiros ainda receberão mais 3 mil euros (6,8 mil reais) de reembolso do bilhete e de despesas extras em decorrência do acidente, totalizando 14 mil euros de indenização (32 mil reais).

A Adoc ressalta que este acordo não é válido para as pessoas feridas ou que perderam parentes no naufrágio: estas vítimas realizarão outros acertos com a Costa Cruzeiros. A associação se diz satisfeita porque a negociação com a empresa não implicou diferenças entre as categorias sociais ou os países de origem dos passageiros.

“O acordo é válido para todos, e não somente para aqueles que recorreram à Justiça”, afirma o comunicado. Os passageiros que concordarem com os termos do texto devem receber a indenização na semana seguinte, qualquer que seja o país de origem. Diversas associações de passageiros já foram formadas.

O Costa Concordia naufragou após colidir com uma rocha há duas semanas, na ilha de Giglio, na Itália, levando 4.229 pessoas a bordo, dos quais 3,2 mil eram turistas. A tragédia causou a morte de pelo menos 16 passageiros, mas outros 16 permanecem desaparecidos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.