Acessar o conteúdo principal
Itália/Acidente

Costa Concordia pode estar perdendo estabilidade

Operação de extração de combustível em torno do Costa Concordia.
Operação de extração de combustível em torno do Costa Concordia. Reuters

Em plena operação de extração de petróleo dos tanques do navio de cruzeiro, naufragado em 13 de janeiro na ilha italiana de Giglio, um novo elemento pode agravar a tragédia: a estabilidade do Costa Concordia está em jogo.  

Publicidade

Foi o jornal italiano Il Tirreno que deu o alerta, publicando hoje as cenas de um vídeo de uma equipe de reconhecimento submarino do navio. As imagens mostram que o Costa Concordia está apoiado sobre duas formações rochosas e a ponta de uma delas parece estar desmoronando.

O fato pode comprometer a estabilidade do navio e causar uma nova tragédia, pois a gigantesca carcaça corre o risco de despencar em um abismo cuja profundidade é de 60 a 90 metros. Se isso acontecer, seria impossível continuar a atual operação de extração das 2.300 toneladas de petróleo do navio, o que seria trágico para o meio ambiente.

Operações de extração

O combustível do Costa Concordia vem sendo retirado desde o dia 12 de fevereiro. Já foram extraídos mais de 950 metros cúbicos, mas ainda restam 1.428 metros cúbicos em 13 tanques. A expectativa das empresas italiana e holandesa encarregadas das operações é terminar as operações dentro de três semanas.

O Costa Concordia naufragou no dia 13 de janeiro no mar Tirreno, com 4.229 pessoas a bordo ao aproximar-se demais da ilha de Giglio. No naufrágio, 17 pessoas morreram e 15 continuam desaparecidas.

Convite aos turistas

A Toscana lançou uma campanha para atrair turistas à ilha de Giglio, um lugar maravilhoso que não pertence apenas à Itália, mas ao mundo todo, disse a  responsável pelo turismo na região, Cristina Scaletti.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.