Acessar o conteúdo principal
Cúpula Ibero-americana

Cúpula em Cádiz é marcada por crise e apelo por investimentos latinos

Dilma Rousseff conversa com o rei Juan Carlos, da Espanha, durante a cúpula ibero-americana.
Dilma Rousseff conversa com o rei Juan Carlos, da Espanha, durante a cúpula ibero-americana. REUTERS/J.J.Guillen/Pool

A 22a edição da cúpula Ibero-Americana, realizada em Cadiz, na Espanha, chegou ao fim no início da noite deste sábado com um forte apelo pela maior interação econômica entre os dois lados do Atlântico. Pressionado pela crise financeira, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, reconheceu as dificuldades do país e fez um apelo para que a América Latina invista na Espanha e na Europa.

Publicidade

Andrei Netto, de Cádiz, na Espanha, especial para a RFI

“Não preciso dizer que seus investimentos serão recebidos de braços abertos”, disse Rajoy.

A crise foi o grande tema da cúpula, que teve início na sexta-feira. Em seu discurso, a presidente Dilma Rousseff fez um apelo para que a União Europeia flexibilize sua política de austeridade, que segundo ela só aprofunda a recessão. A presidente lembrou a década perdida no Brasil, nos anos 80, quando o país enfrentava alto endividamento. “Levamos duas décadas de ajuste fiscal rigoroso tentando digerir a crise da dívida soberana e a crise bancária que nos afetava e, neste período, o Brasil estagnou e se tornou um exemplo de desigualdade social”, lembrou Dilma.

A presidente reiterou as advertências aos europeus de que os cortes de investimentos e de gastos públicos podem levar a uma espiral de recessão e de desemprego, sem resolver o problema das dívidas. “O equívoco é achar que a consolidação fiscal acelerada seja benéfica e resulte numa solução efetiva”, disse a presidente.

No início da noite, Rajoy foi questionado sobre as críticas da presidente brasileira. Sua resposta foi: “A mim a presidente não fez nenhuma crítica à política econômica da Espanha”.

A delegação do Brasil já deixou Cadiz, rumando a Madri, onde Dilma passará o domingo sem agenda oficial. Na segunda-feira a presidente tem reuniões bilaterais com o rei Juan Carlos e com Rajoy, quando devem voltar a discutir a crise.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.