Acessar o conteúdo principal
Desemprego/Europa

França e Alemanha lançam iniciativa “urgente” para combater desemprego de jovens

Uma agência de empregos em Atenas.  A taxa de desemprego chegou a 64,2% entre os jovens de 15 à 24 anos.
Uma agência de empregos em Atenas. A taxa de desemprego chegou a 64,2% entre os jovens de 15 à 24 anos. REUTERS/John Kolesidis

O presidente francês, François Hollande, lançou nesta terça-feira, em Paris, uma “ofensiva” para promover o emprego entre os jovens da Europa. A iniciativa franco-alemã está sendo chamada de “New Deal” contra o desemprego. As propostas estão focadas em três eixos: o estímulo de crédito às pequenas e médias empresas, o desenvolvimento dos cursos profissionalizantes e a mobilidade geográfica.

Publicidade

“Devemos agir com urgência, seis milhões de jovens estão desempregados na Europa”, e “cerca de 14 milhões estão sem trabalho, não prosseguem os estudos nem fazem cursos profissionalizantes”, afirmou o presidente francês durante um colóquio no Instituto de Estudos Políticos de Paris sobre o tema “Europa: próximas etapas”.

Hollande disse que há urgência em combater um problema grave, que atinge principalmente os países ao sul do continente. Em pelo menos 18 países europeus, a taxa de jovens de 18 a 25 anos sem trabalho supera 20%.

Na Grécia, 60% dos jovens estão desempregados, 54% na Espanha, 38% em Portugal e 25% na França. Já a Alemanha, parece praticar a boa política. Somente 8,1% dos jovens alemães procuram trabalho.

Segundo Hollande, a França conseguiu um acordo com o governo de Angela Merkel para propor um plano de estímulo ao emprego para os jovens. Segundo o presidente socialista, as instituições européias estão mobilizadas sobre esse assunto.

As medidas de combate ao desemprego entre os jovens são discutidas em Paris pelo presidente François Hollande, pelos ministros das Finanças e do Trabalho de França e Alemanha, pelo primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, e o ministro italiano do Trabalho, Enrico Giovannini.

As medidas propostas prevêem uma melhor utilização dos fundos europeus já existentes além de facilitar o acesso de crédito barato às empresas que abrirem vagas para jovens. O sistema de cursos profissionalizantes em empresas, que dá ótimos resultados na Alemanha, deve ser estendido a outros países através do programa Erasmus, o intercâmbio consagrado pelos estudantes europeus, por enquanto limitado às universidades.

Os jovens europeus vão ser estimulados a criar suas próprias empresas. O financiamento dos programas poderá contar com recursos do Banco Europeu de Investimentos.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.