Acessar o conteúdo principal
UE/Mercado imobiliário

Londres e Paris são as cidades mais caras para morar na Europa

As cidades de Londres e Paris têm o metro quadrado mais caro da Europa.
As cidades de Londres e Paris têm o metro quadrado mais caro da Europa. REUTERS/Luke MacGregor

Londres e Paris continuam como as duas cidades mais caras da União Europeia, bloco que reúne 27 países do continente. Em 2012, o custo do metro quadrado na capital inglesa chegou a 10 mil euros, o equivalente a 29,5 mil reais. Já na capital francesa, a média do preço do metro quadrado no ano passado ficou em 24.500 reais.

Publicidade

O estudo realizado pela empresa de consultoria Deloitte focaliza o mercado imobiliário em 12 países europeus e sublinha as discrepâncias crescentes entre os países.

O preço do metro quadrado cai consideravelmente nos subúrbios das capitais. Na região metropolitana de Londres, por exemplo, o metro quadrado recua para 6 mil euros (17,6 mil reais); 5,5 mil no caso da região parisiense (16,1 mil reais). A terceira cidade mais cara da Europa no ranking da Deloitte é Munique, igualmente a mais cara na Alemanha, com o metro quadrado cotado em 5 mil euros (14,7 mil reais). Depois figuram Moscou, Milão, Roma, Lyon e Marselha.

No aspecto qualidade de vida, Moscou é a cidade onde o acesso à casa própria é mais difícil. Os russos precisam em média de 10 anos de salário para conseguir comprar um apartamento novo de 70m². Os franceses, ingleses e italianos também precisam juntar os salários de oito anos, no mínimo, para realizar o sonho de comprar a casa própria. O país mais acessível é a Dinamarca, onde com dois anos de trabalho é possível realizar uma compra imobiliária.

Segundo o estudo, os preços dos imóveis continuam com tendência de alta no Reino Unido (+13,5%), na Rússia (+11%) e na Alemanha (+9,1%). França e Bélgica registraram desaceleração em relação a 2011, enquanto na Itália, Espanha e Holanda os preços caíram.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.