Acessar o conteúdo principal
Vaticano/Papa

Papa Francisco se reúne com vítimas de pedofilia no Vaticano e pede perdão

O papa Francisco encontrou com seis vítimas de agressão sexual cometida por padres católicos durante uma missa privada na residência do papa no Vaticano.
O papa Francisco encontrou com seis vítimas de agressão sexual cometida por padres católicos durante uma missa privada na residência do papa no Vaticano. REUTERS/Alessandro Bianchi

O papa Francisco recebeu nesta segunda-feira (7), pela primeira vez no Vaticano, um grupo de vítimas de padres pedófilos. O encontro aconteceu na residência Santa Marta, onde o sumo pontífice vive desde sua eleição em março de 2013. Antes, o grupo participou de uma missa na capela do papa, que condenou a "cumplicidade inexplicável de parte do clero", que "pesa na consciência da Igreja".

Publicidade

Segundo um comunicado do Vaticano, o papa recebeu as pessoas individualmente. A reunião já havia sido anunciada pelo próprio papa em maio. As associações de vítimas estimam que o encontro demorou para ser organizado e criticam o Vaticano pela falta de reatividade na luta contra a pedofilia na Igreja Católica.

O papa denunciou "a cumplicidade inexplicável" de uma parte do clero e prometeu que não toleraria que "nenhum mal fosse feito a um menor." O papa argentino afirmou que as dores das vítimas e os suicídios "pesam na consciência da Igreja."

Ele também pediu perdão pelo "pecado de omissão dos dirigentes" da instituição, que se recusaram a ouvir as denúncias e queixas das vítimas. "Diante de Deus e de seu povo, quero demonstrar minha tristeza pelos graves crimes de abuso sexual cometidos e peço perdão", disse o papa.

O Vaticano estima em 3.420 o número de acusações de abusos sexuais por padres, transmitidos nos últimos anos, envolvendo quase 900 religiosos. A igreja americana pagou mais de U$2,5 milhões de dólares en indenizações às vítimas.

Papa prometeu sanções contra padres pedófilos

Desde o início de seu pontificado, o papa Francisco deixou claro que imporia "sanções severas" contra os autores de atos de pedofilia. Para ele, os padres que abusam de uma criança cometem o "pior sacrilégio religioso", comparável a uma "missa negra".

O sumo pontífice também criou uma comissão de especialistas para proteger a infância nas instituições que integram a Igreja Católica. Este encontro com as seis vítimas dá sequência às reuniões iniciadas no pontificado de Bento 16, durante suas viagens, mas é a primeira vez que ocorre no Vaticano.

O escandâlo de pedofilia na Igreja revelado nos anos 2000 atingiu dezenas de milhares de crianças em vários países, entre eles a Irlanda e os Estados Unidos. A maior parte dos crimes ocorreu nos anos 60 e 70. A Igreja é frequentemente acusada de ter tolerado e protegido os padres, sem dar voz às vítimas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.