Acessar o conteúdo principal
Itália/Costa Concórdia

Costa Concordia começa a ser rebocado para Gênova

Reboque do Costa Concordia começou nesta quarta-feira, 23 de julho de 2014.
Reboque do Costa Concordia começou nesta quarta-feira, 23 de julho de 2014. REUTERS/ Alessandro Bianchi

O cruzeiro Costa Concordia deixou finalmente na manhã desta quarta-feira (23) a pequena ilha italiana de Giglio, onde ficou encalhado durante dois anos e meio. O início da última viagem do transatlântico foi acompanhado por centenas de curiosos e marcado por apitos de navios, sinos de igrejas e aplausos dos engenheiros envolvidos na operação.

Publicidade

O Costa Concordia está sendo rebocado em direção ao porto de Gênova, onde será desmontado. “Tudo acontece como previsto, mas só ficaremos tranquilos quando chegarmos a Gênova”, afirmou o chefe da operação, o sul-africano Nick Sloano.

“Espero que a remoção do navio leve também todas as nossas péssimas lembranças”, declarou Anne Decré, do coletivo francês de sobreviventes do naufrágio do Costa Concordia, que assistiu à partida do navio esta manhã de Giglio.

A viagem, de 370 quilômetros a uma velocidade média de 2,5 nós (equivalente a 4,6 km/h), deve demorar de quatro a cinco dias. Dois rebocadores e 12 embarcações menores escoltam o navio que tem 300 metros e pesa 114 toneladas. O Costa Concordia passará perto da costa de várias ilhas mediterrâneas, antes de chegar a Gênova no próximo sábado ou domingo.

Operação preocupa ambientalistas

A operação delicada preocupa especialistas e ativistas do Greenpeace que apontam risco de poluição com vazamento de óleo. As autoridades italianas confirmaram um pequeno vazamento, mas dizem que não se trata de um desastre ambiental.

O navio foi colocado outra vez na posição horizontal no dia 13 de setembro de 2013, numa manobra impressionante que demorou 19 horas. O transatlântico naufragou na costa da ilha de Giglio em janeiro de 2012 matando 32 pessoas. O processo contra o comandante Francesco Schettino, acusado entre outros crimes de homicídio, negligência e abandono de navio, continua aberto. Novas audiências deverão ocorrer até dezembro deste ano.
 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.